Alberto Pezzali/AP
Alberto Pezzali/AP

Federer elimina Djokovic, vai à semi do ATP Finals e garante Nadal como número 1

Suíço supera sérvio por 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 6/3, nesta quinta-feira

Redação, Estadão Conteúdo

14 de novembro de 2019 | 21h02

Exibindo uma grande atuação nesta quinta-feira em Londres, o suíço Roger Federer venceu Novak Djokovic por 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 6/3, avançou à semifinal do ATP Finals e eliminou o sérvio do torneio que reúne os oito melhores tenistas desta temporada. Para completar, garantiu a Rafael Nadal a permanência na liderança do ranking mundial até o término do ano, pois apenas o jogador de Belgrado, atual número 2 do mundo, tinha chances de tirar do espanhol este posto durante a competição na capital inglesa.

Com o triunfo, Federer avançou à próxima fase do importante torneio como vice-líder do Grupo Bjorn Borg, enquanto Djokovic foi eliminado ao fechar sua campanha na chave como terceiro colocado. A primeira posição ficou com o austríaco Dominic Thiem, que já havia garantido classificação na rodada anterior e, horas mais cedo, foi derrotado pelo italiano Matteo Berrettini com parciais de 7/6 (7/3) e 6/3.

Essa é a 16ª vez que Federer vai à semi do ATP Finals, no qual ele conquistou o título por cinco vezes. O veterano de 38 anos, terceiro colocado do ranking mundial, não conseguia obter uma vitória sobre Djokovic desde 2015, quando superou o sérvio justamente na primeira fase deste mesmo evento realizado em Londres.

Dois velhos rivais no circuito profissional, os dois tenistas haviam se enfrentado pela última vez também na capital inglesa, na épica decisão do Grand Slam de Wimbledon deste ano, na qual o suíço chegou a desperdiçar match point antes de cair diante do sérvio em um confronto de cinco sets. Desta vez, porém, Federer não deu chances ao oponente. Além de confirmar todos os seus saques, aproveitou três das sete chances que teve de quebrar o serviço do adversário de 32 anos para conquistar o seu triunfo em sets diretos, em apenas 1h13.

"Ótima atmosfera, um ótimo oponente aqui em Londres na O2 Arena, definitivamente incrivelmente especial. Foi apenas uma noite que eu aproveitei desde o início. Eu joguei de forma incrível, e sabia que precisava jogar, porque é isso que Novak faz e eu fui capaz de produzir. Então foi definitivamente mágico", afirmou Federer ao comemorar a sua vitória após a partida.

Djokovic vinha de cinco triunfos nos últimos cinco jogos contra Federer, sendo o primeiro deles conquistado na decisão do ATP Finals de 2015. No retrospecto geral do duelo entre os dois, o sérvio agora viu a sua vantagem ser reduzida para 26 a 23 vitórias em 49 confrontos - o primeiro desta longa série de embates ocorreu em 2006.

Eliminado, Djokovic mirava terminar pela sexta vez um ano como líder do ranking, o que seria um recorde, mas a sua derrota fará com que Nadal feche uma temporada no topo pela quinta ocasião, igualando o feito do próprio sérvio e que anteriormente também foi alcançado por Federer e pelo norte-americano Jimmy Connors.

E o sérvio exaltou a grande atuação do suíço após a derrota desta quinta-feira. "Ele foi melhor jogador em todos os aspectos e absolutamente mereceu vencer. Ele sacou bem, se movimentou bem, devolveu meu serviço muito bem... Ele fez tudo certo", ressaltou.

Na semifinal, Federer terá pela frente quem terminar na liderança do Grupo Andre Agassi, que terá a sua última rodada nesta sexta-feira com dois confrontos. No primeiro deles, às 11 horas (de Brasília), Nadal enfrenta o grego Stefanos Tsitsipas, este já garantido na próxima fase. Depois, às 17h, o russo Daniil Medvedev encara o alemão Alexander Zverev, atual campeão do ATP Finals.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.