Federer exalta ascensão de Djokovic no tênis

O ano perfeito de Novak Djokovic é um sinal de uma possível mudança no topo do tênis, e Roger Federer não ignora a situação. O sérvio passou o suíço em maio para assumir a vice-liderança do ranking mundial, e ameaça roubar o primeiro lugar do espanhol do Rafael Nadal no Masters 1000 de Roma nesta semana.

AE-AP, Agência Estado

10 de maio de 2011 | 16h06

Djokovic derrotou Nadal na final do Masters 1000 de Madri no domingo para permanecer invicto em 2011 após 32 jogos. "Definitivamente é um momento interessante, já que Novak não perdeu em toda a temporada. É uma situação nova e diferente, ainda que não mude muito para mim", disse Federer.

Se Djokovic faturar o seu sétimo título do ano em Roma e Nadal não chegar às semifinais, o sérvio vai se tornar o primeiro jogador desde fevereiro de 2004 a quebrar o domínio do espanhol e de Federer na liderança do ranking da ATP.

"Agora, eles (Djokovic e Nadal) estão jogando melhor do que eu e melhor do que os outros", disse o astro suíço. "Acho que agora todo mundo pode jogar em todas as superfícies, o que torna extremamente difícil de vencer em todos esses grandes torneios".

Ainda assim, Federer não perde a esperança, sobretudo depois de ganhar um set de Nadal nas semifinais em Madri. "É bom para o tênis que estejam jogando tão bem. Mas, obviamente, todo mundo está esperando por sua chance, e eu sou um desses", acrescentou. "Eu basicamente só joguei nas semifinais ou finais desde Wimbledon, então eu acho que estou em posição de fazer alguma coisa", comentou. "Eu estive perto contra o Rafa, e eu só tenho que ir um passo além, e espero fazer esta semana".

Tudo o que sabemos sobre:
tênisRoger FedererNovak Djokovic

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.