Saeed Khan / AFP
Saeed Khan / AFP

Federer fica a 155 pontos de Nadal e vê topo mais próximo; Cilic assume 3º lugar

Com queda de Rogerinho, Brasil volta a ficar sem nenhum tenista no top-100

Estadão Conteúdo

29 Janeiro 2018 | 12h10

Um dia depois de voltar a fazer história com o seu 20º título de um Grand Slam, agora ao se sagrar campeão do Aberto da Austrália pela sexta vez, o suíço Roger Federer figurou nesta segunda-feira na vice-liderança do ranking da ATP com apenas 155 pontos de desvantagem em relação a Rafael Nadal, que sustentou a primeira posição.

+ Federer bate Cilic em 5 sets, iguala recorde na Austrália e chega ao 20º Slam

+ Marcelo Melo supera Guga em ranking e comemora 'fato histórico'

Vice-campeão em Melbourne no ano passado, quando caiu justamente diante de Federer em uma decisão épica, o espanhol abandonou o duelo que travava com o croata Marin Cilic nas quartas de final do torneio australiano, por motivo de lesão, e teve descontados os pontos que não somou por não avançar sequer à semifinal em 2018.

841084Assim, corre o risco de perder a liderança para Federer já em fevereiro, mesmo com o fato de o recordista de títulos de Grand Slam não estar inscrito em nenhum torneio até março, quando disputará o Masters 1000 de Indian Wells, nos Estados Unidos.

No próximo mês, Nadal tem participação prevista no ATP 500 de Acapulco, marcado para começar no dia 26 e onde lutará para ao menos defender os 300 pontos que conquistou pelo vice-campeonato do evento mexicano no ano passado. Como o espanhol ainda está em uma situação física incerta e precisará ficar afastado para se recuperar de lesão antes de retornar às quadras justamente no México, não será uma grande surpresa se o atual número 1 do mundo for eliminado até as semifinais.

Marin Cilic, por sua vez, galgou três postos no Top 10 após avançar à final do Aberto da Austrália e assumiu a terceira posição. O croata só caiu após cinco sets na decisão contra Federer e agora festeja a sua melhor colocação da carreira na ATP, na qual ele ultrapassou de uma vez só o búlgaro Grigor Dimitrov, o alemão Alexander Zverev e o austríaco Dominic Thiem, agora nos respectivos quarto, quinto e sexto lugares.

Logo abaixo deste grupo está o belga David Goffin, que sustentou a sétima posição. Já o norte-americano Jack Sock, o argentino Juan Martín del Potro e o espanhol Pablo Carreño Busta ganharam um posto cada um e fecham, nesta ordem, o Top 10. O trio foi beneficiado pela queda de sete posições do suíço Stan Wawrinka, que desceu do oitavo para o 15º lugar após ser eliminado já na segunda rodada deste Aberto da Austrália.

Novak Djokovic, por sua vez, foi outro a se aproveitar da queda expressiva do suíço. Ex-número 1 do mundo, o sérvio subiu de 14º para 13º, mesmo depois de ter caído nas oitavas de final do Grand Slam realizado em Melbourne.

BRASIL FORA DO TOP 100

O Brasil, por sua vez, voltou a ficar sem nenhum tenista no Top 100 de simples da ATP. Rogério Dutra Silva, que ocupava o 98ª posição, desceu três postos e agora está em 101º no geral depois de ser eliminado em sua estreia nesta edição do Aberto da Austrália.

Já Thomaz Bellucci, mesmo sem jogar o Grand Slam enquanto cumpre suspensão por doping, subiu duas posições e assumiu o 107º lugar. Outro único brasileiro do Top 200, Thiago Monteiro caiu de 116º para 117º.

 

Confira a classificação atualizada do ranking da ATP:

1) Rafael Nadal (ESP), 9.760 pontos

2) Roger Federer (SUI), 9.605

3) Marin Cilic (CRO), 4.960

4) Grigor Dimitrov (BUL), 4.630

5) Alexander Zverev (ALE), 4.610

6) Dominic Thiem (AUT), 4.060

7) David Goffin (BEL), 3.460

8) Jack Sock (EUA), 2.880

9) Juan Martín del Potro (ARG), 2.815

10) Pablo Carreño Busta (ESP), 2.705

11) Kevin Anderson, (AFS), 2.620

12) Sam Querrey (EUA), 2.490

13) Novak Djokovic (SER), 2.470

14) Nick Kyrgios (AUS), 2.395

15) Stan Wawrinka (SUI), 2.385

16) Tomas Berdych (RCH), 2.320

17) Lucas Pouille (FRA), 2.235

18) John Isner (EUA), 2.230

19) Jo-Wilfried Tsonga (FRA), 2.050

20) Andy Murray (GBR), 1.960

101) Rogério Dutra Silva (BRA), 531

107) Thomaz Bellucci (BRA), 521

117) Thiago Monteiro (BRA), 495

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.