Federer inicia disputa em Melbourne ameaçado por Nadal

Roger Federer inicia a defesa de seu título do Aberto da Austrália na segunda-feira, tentando manter a boa fase contra o eslovaco Lukas Lacko.

ALASTAIR HIMMER, REUTERS

16 de janeiro de 2011 | 12h53

O jogador suíço deve lutar com todas as suas armas no primeiro grand slam do ano em Melbourne para tentar evitar que Rafael Nadal garanta um lugar no Panteão dos maiores tenistas.

Na primeira rodada do torneio feminino, a dinamarquesa Caroline Wozniacki enfrenta a argentina Gisela Dulko com pressão crescente para que ela vença um grand slam feminino e justifique a posição de número 1 do ranking.

Muito gentil para admitir publicamente, Federer vai estar desesperado para evitar que Nadal seja o primeiro tenista a conquistar todos os quatro slams de uma vez desde que Rod Laver o fez em 1969.

Federer, que busca adicionar mais um ao seu recorde de 16 grand slams, venceu o seu rival no último torneio da temporada, o World Tour em Londres. Ele também venceu em Doha no início deste mês e vai precisar manter a forma para impedir que Nadal conquiste o título, isso se os dois chegarem à final.

Lacko pode usar todas as suas armas na arena Rod Laver, mas a expectativa é que Federer, que tenta o inédito quinto título do Aberto da Austrália, consiga despachar rapidamente o tenista número 97 do mundo.

Federer começou a batalha mental ao dizer que Nadal é o favorito no torneio, já que o espanhol conquistou os três outros títulos principais do circuito.

"Ele está dominando os slams", disse Federer, 29 anos, quando questionado se a sua atual boa forma lhe dá vantagem no possível confronto. "Isso o deixa como favorito, claramente."

Caroline ainda precisa conquistar um título de grand slam mesmo tirando de Serena Williams a posição principal do ranking em outubro passado.

A dinamarquesa de 20 anos insiste que não tem nada a provar, mas vai enfrentar pressão intensa para validar a sua posição de número 1 do mundo em Melbourne.

"Eu venci seis torneios no ano passado", disse uma provocadora Caroline, que foi eliminada no torneio internacional de Sydney na primeira partida oficial do ano e já perdeu para Gisela Dulko em outra ocasião.

"Não tenho nada para provar", acrescentou, ainda que o sucesso nos quatro torneios principais seja considerado como o teste fundamental para a grandiosidade no esporte.

Já Maria Sharapova, que já foi a número 1 do mundo e venceu três títulos de grand slam, incluindo o Aberto da Austrália em 2008, enfrenta a tailandesa Tamarine Tanasugarn na primeira rodada.

A russa é a 16a cabeça de chave, mas está tendo problemas desde que fez uma cirurgia no ombro no final de 2008. Ela prometeu lutar o máximo na partida, o que pode significar alguns gritos em quadra que devem ultrapassar o limite de decibéis aceitável para o ouvido humano.

A italiana Francesca Schiavone, campeã do Aberto da França e 6a cabeça de chave, também joga na segunda-feira e não deve ter grandes problemas para vencer a espanhola Arantxa Parra Santonja.

O tenista número 3 do mundo Novak Djokovic da Sérvia, o campeão de 2008, enfrenta o espanhol Marcel Granollers, enquanto o finalista do ano passado de Wimbledon Tomas Berdych, que surpreendeu a todos, é o 6o cabeça de chave e enfrenta o italiano Marco Crugnola.

Tudo o que sabemos sobre:
TENISFEDERERNADAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.