AFP
AFP

Federer inicia treinos, mas não tem presença garantida no Aberto da Austrália

Tenista suíço passou por duas cirurgias no joelho direito em 2020 e ainda não realizou atividades de impacto

Redação, Estadão Conteúdo

20 de dezembro de 2020 | 15h22

Roger Federer chegou no sábado em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, para dar início à sua preparação para a temporada de 2021. Ele começou as atividades para poder ter condições de disputar o Aberto da Austrália, primeiro Grand Slam do ano, cujo início foi adiado para o dia 8 de fevereiro.

O tenista suíço passou por duas cirurgias joelho direito, em fevereiro e em junho, e ainda não realizou atividades de impacto depois das operações. Por isso, sua presença na competição disputada em quadras duras na cidade de Melbourne ainda é incerta.

O vencedor de 20 Grand Slams praticamente não jogou em 2020. Sua última aparição foi justamente no Aberto da Austrália no começo deste ano, antes da eclosão da pandemia de covid-19. Ele afirmou que o caminho para poder jogar ainda é longo, mas que está esperançoso.

"Da Suíça para a Austrália o caminho é ainda mais longo. Eu realmente preciso testar totalmente meu joelho na quadra. Com a esperança de que eu esteja bem o suficiente para o Aberto da Austrália. Treinar no frio, em quadras indoor, não era exatamente o ideal", disse Federer em entrevista à revista suíça Schweizer Illustrierte.

Segundo o diretor do Aberto da Austrália, Craig Tiley, "todos os melhores tenistas do mundo, incluindo Roger Federer, prometeram vir a Melbourne" para disputar o primeiro torneio de nível Grand Slam do ano, adiado em três semanas.

"Entramos em contato com Roger e sua equipe, apenas três dias atrás. Ele fez seus primeiros treinos em Dubai e sua preparação de pré-temporada usual", contou Tiley. "Ele nos disse que a data de 8 de fevereiro é mais adequada para ele em termos de preparação para o Aberto da Austrália, mas muito vai depender de como se sentir após as operações (no joelho direito) nas próximas duas ou três semanas", completou.

Aos 39 anos, Federer reconheceu recentemente que não está 100% fisicamente e colocou em dúvida sua participação no torneio em Melbourne. "É uma corrida contra o tempo", definiu. "Esperava estar 100% desde outubro. Mas não estou nesse nível. Terei pouco tempo para o Aberto da Austrália".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.