Samer Al-Rejjal /AFP
Samer Al-Rejjal /AFP

Federer joga bem e vence no retorno ao circuito após 13 meses afastado

Suíço derrota o britânico Daniel Evans por 2 sets a 1, com parciais de 7/6 (10/8), 3/6 e 7/5, no Torneio de Doha, no Catar

Felipe Rosa Mendes, O Estado de S.Paulo

10 de março de 2021 | 15h37

Roger Federer encerrou com vitória o seu mais longo período de afastamento do circuito mundial de tênis. Aos 39 anos, o suíço mostrou certa irregularidade em quadra nesta quarta-feira, mas jogou bem e derrotou o britânico Daniel Evans por 2 sets a 1, com parciais de 7/6 (10/8), 3/6 e 7/5, em 2h24min de duelo, pelas oitavas de final do Torneio de Doha, no Catar. 

Em seu primeiro torneio em pouco mais de 13 meses, o atual número seis do mundo exibiu boa movimentação, preparo físico razoável e a eficiência de sempre no saque. No entanto, voltou a mostrar a velha irregularidade com o backhand e algumas "madeiradas" com o forehand. Nada que impedisse a vitória sobre o rival, 28º do mundo e um especialista em quadra dura, como a do torneio disputado no Catar. 

Federer não jogava uma partida oficial desde 30 de janeiro de 2020, quando perdeu para Novak Djokovic na semifinal do Aberto da Austrália. Naquela derrota por 3 sets a 0, o suíço apresentou dores que exigiram duas cirurgias no joelho direito nos meses seguintes. Com o circuito paralisado pela pandemia e torneios sendo adiados e cancelados a todo momento, o ex-número 1 do mundo decidiu usar o restante da temporada 2020 para se recuperar fisicamente. 

Apesar dos 39 anos, o suíço descartou qualquer chance de aposentadoria e retomou os trabalhos físicos e técnicos. Estaria pronto para voltar já no Aberto da Austrália, no mês passado, mas a obrigação de permanecer em quarentena com a família - a esposa e os quatro filhos - ao desembarcar em Melbourne fez o tenista adiar o retorno para Doha, um torneio menor, de nível ATP 250, com menor exigência.

Jogando diante de torcedores, Federer exibiu boa movimentação e bom preparo físico ao longo dos três sets da partida. A eficiência do saque foi uma marca durante todo o jogo. No equilibrado set inicial, o veterano exibiu bom rendimento em todos os fundamentos, até mesmo em sua esquerda, que costumava descalibrar em momentos importantes nos últimos anos. Após salvar um break point no nono game, Federer mostrou oscilações no tie-break. Acertava bolas incríveis, mas também cometia erros bobos. Acabou levando a melhor com uma linda passada de esquerda. 

A irregularidade aumentou no segundo set. Evans aproveitou a situação favorável e quebrou o serviço de Federer no quarto game, abrindo 3/1. O suíço não pareceu fazer grande esforço para devolver a quebra e tentar finalizar o jogo nesta parcial.

O terceiro set teve o melhor nível técnico da partida. Ambos os jogadores passaram a jogar melhor e Federer parecia mais solto em quadra. Mas ainda irregular. Ele cometeu seguidos erros com seu backhand e correu riscos em seus games de saque. Ao mesmo tempo, levantou a torcida com bolas incríveis. Foi assim, principalmente, no 10º game, quando Evans precisou suar para salvar um match point.

Federer desperdiçou a primeira, mas não a segunda chance de fechar o jogo. E marcou seu retorno às quadras, após 405 dias de afastamento, com uma vitória. Curiosamente, Evans foi seu parceiro de treinos no início do ano em sua preparação para o retorno. Agora, o suíço vai enfrentar o georgiano Nikoloz Basilashvili, que avançou mais cedo ao superar o tunisiano Malek Jaziri por duplo 6/2. Se vencer novamente, ele poderá cruzar com o canadense Denis Shapovalov na semifinal. O quarto cabeça de chave venceu nesta quarta o compatriota Vasek Pospisil por 7/5 e 6/4.

Na outra ponta da chave, o favorito Dominic Thiem estreou com vitória sobre o russo Aslan Karatsev, sensação do último Aberto da Austrália. O semifinalista em Melbourne ofereceu resistência e o cabeça de chave número 1 precisou de três sets para fechar: 6/7 (5/7), 6/3 e 6/2. Também avançaram nesta quarta-feira o russo Andrey Rublev e o espanhol Roberto Bautista Agut. O tenista da Rússia nem precisou entrar em quadra. Seu adversário, o francês Richard Gasquet, desistiu. Já o atleta da Espanha superou o casaque Alexander Bublik por 6/4 e 6/3.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.