Federer lamenta ausência de Nadal em Wimbledon

A ausência de Rafael Nadal em Wimbledon, por uma lesão no joelho, deixará mais fácil o caminho para Roger Federer voltar à liderança do ranking. Como o espanhol não poderá defender os pontos do título do ano passado, Federer precisará alcançar apenas a semifinal. O suíço, no entanto, preferiria que fosse diferente. Em entrevista neste sábado, ele lamentou bastante a ausência de seu grande rival.

AE-AP, Agencia Estado

20 de junho de 2009 | 17h39

"Estou muito desapontado pelo torneio e também por mim mesmo. É uma infelicidade. Estou triste por ele, porque deve ter sido muito difícil tomar essa decisão", afirmou o suíço. "Eu adoraria jogar contra ele. É meu principal rival. Nós tivemos alguns jogos maravilhosos ao longo desses anos, e especialmente um aqui no último ano".

Federer contou que procurou o espanhol na quarta-feira para saber como estava seu joelho e, após a conversa, pressentiu que algo aconteceria. "Eu perguntei como estavam seus joelhos. Ele respondeu, sem firmeza, que estavam OK. Então, pensei que seus joelhos não estavam bem, porque ele costuma ser muito honesto comigo. Foi quando pensei que algo poderia ocorrer".

Além de poder retornar à liderança do ranking, Federer obterá um de seus maiores feitos se for campeão em Wimbledon: baterá o recorde de Pete Sampras de 14 grand slam conquistados. "Não sinto uma pressão extra para ganhar o torneio", revelou Federer.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisWimbledomFedererNadal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.