Elise Amendola/AP
Elise Amendola/AP

Federer minimiza derrota para Del Potro no US Open

'Cinco títulos foi ótimo, quatro também. Seis teria sido um sonho, mas não se pode ter tudo', explica

PRITHA SARKAR, REUTERS

15 de setembro de 2009 | 16h26

Roger Federer buscou consolo no verão norte-americano ao invés de remoer a derrota para Juan Martin del Potro na final do US Open.

 

Veja também:

link Argentino assume a quinta posição no ranking

link Del Potro surpreende Federer e leva o título

mais imagens GALERIA - Confira as imagens da decisão

especial US OPEN - Leia mais sobre o torneio

especial QUIZ - Responda às perguntas sobre o US Open

especial INFOGRÁFICO - Saiba tudo sobre o torneio

O argentino se tornou o único jogador além de Rafael Nadal a derrotar o número um do mundo em uma final de grand slam, frustrando a luta de Federer para se tornar o primeiro tenista na era moderna a conquistar seis títulos consecutivos no torneio de Nova York.

Federer ficou visivelmente abalado 14 meses atrás, quando Nadal o derrotou em uma partida eletrizante de cinco sets que adentrou a noite de Wimbledon. Ele ficou arrasado novamente após a derrota épica para o espanhol no Aberto da Austrália em fevereiro. Mas desta vez, Federer aceitou calmamente a derrota por 3/6, 7/6, 4/6, 7/6 e 6/2 na segunda.

"Cinco títulos foi ótimo, quatro também. Seis teria sido um sonho, mas não se pode ter tudo", disse o suíço aos repórteres com um sorriso.

"Não estou muito decepcionado porque acho que joguei mais um torneio maravilhoso. Tive chances de vencer hoje, mas não soube aproveitá-las. Foi uma pena".

Um ano atrás, Federer poderia ter sido menos confiante, mas seu desempenho posterior suavizou o golpe.

Ele completou sua coleção de títulos de grand slam ao conquistar Roland Garros, e ao vencer em Wimbledon superou o recorde de 14 troféus de grand slam, antes pertencente a Pete Sampras.

Federer acredita que a derrota de segunda-feira foi somente um tropeço em sua temporada, e não um sinal futuro.

"Estou jogando um ótimo tênis agora. Isso não diminui em nada o que conquistei neste ano, e tive uma ótima temporada em termos de grand slams."

"Além disso, voltei a ser o número um do mundo, e espero conseguir defender minha posição até o fim do ano."

Tudo o que sabemos sobre:
ATPRoger FedererUS OpenGrand Slam

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.