John Minchillo/AP
John Minchillo/AP

Federer mostra sua classe, bate Murray e encara Djokovic na final

Suíço mostra talento diante do escocês e busca taça em Cincinnati

Estadão Conteúdo

22 Agosto 2015 | 19h37

O suíço Roger Federer voltou a mostrar toda sua classe e seu talento para vencer o escocês Andy Murray por 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 7/6 (6), e garantir seu lugar na final deste domingo no Masters 1000 de Cincinnati contra Novak Djokovic. Se vencer o sérvio na decisão, que acontece a partir das 14h (de Brasília), o tenista suíço conquistará seu sétimo título do torneio e, de quebra, retornará à segunda colocação do ranking da ATP na próxima semana.

Maior campeão do torneio de simples de Cincinnati, Federer mostrou mais uma vez que sabe como jogar na competição americana e sabe como encarar Andy Murray. A experiência do tenista de 34 anos foi crucial para a vitória na semi deste sábado.

No duelo direto pelo posto de número 2 do mundo, Federer foi preciso nos ralis e nos contragolpes durante toda partida. Os tenistas arrancaram vários aplausos da torcida norte-americana em grandes jogadas, como uma disputa que foi travada em toda a quadra e outra de voleios na rede. A quebra do início do primeiro set fez a diferença e Federer levou a primeira parcial por 6 a 4.

O segundo set trouxe o mesmo cenário da parcial anterior, com muitas disputas de bola em alto nível. Os dois confirmaram seus serviços e não deram chances de quebra. Deste modo, o set foi decidida no tie-break e o equilíbrio permaneceu até o ponto decisivo. Murray chegou a salvar um match point, mas não conseguiu resistir a Federer depois de duas belas subidas do suíço à rede, que fechou o set e a partida por 7 a 6 (8-6 no tie-break).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.