Daniel Munoz/Reuters-16/09/2011
Daniel Munoz/Reuters-16/09/2011

Federer negocia para vir ao Brasil em 2012 para enfrentar Guga

Dono de 16 títulos de Grand Slam, suíço pretende participar de exibições na América Latina

Giuliander Carpes, O Estado de S. Paulo

30 de setembro de 2011 | 14h59

SÃO PAULO - O suíço Roger Federer deve jogar no Brasil pela primeira vez na carreira em 2012. Segundo apurou o Estado, existe uma negociação para que o atual terceiro colocado do ranking mundial enfrente Gustavo Kuerten, ex-número 1 e dono de três títulos de Roland Garros, no Rio, no final do próximo ano.

Mais tarde, o próprio Guga, em sua conta no Twitter, revelou que o jogo deve mesmo acontecer. "Opaaa! Bora pra quadra treinar, parece que vem o Federer por aí, pelo menos tem 1 aninho, mas em se tratando dele, é bom começar já."

Guga, 35 anos, já enfrentou Federer, 30, três vezes e tem retrospecto positivo contra o suíço. Venceu o ex-número 1 na terceira rodada de Roland Garros, em 2004, e um ano antes, no Masters de Indian Wells. Perdeu apenas no primeiro confronto entre os dois, em 2002, no Masters de Hamburgo. Todos os confrontos ocorreram depois que o catarinense começou a sentir a lesão no quadril que abreviou sua carreira.

Nova partida entre os dois seria possível porque a Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) encurtou o calendário de torneios em duas semanas a partir do próximo ano. Federer terá mais tempo para visitar países onde nunca jogou, como Brasil e Argentina. O maior entrave é o valor pedido pelo suíço para cada exibição: 2 milhões de euros (R$ 5 milhões) por jogo. Mas uma grande produtora de eventos procura reunir patrocinadores para resolver a questão.

"O Roger nunca foi ao Brasil e tem muito interesse em visitar o País", afirma o agente do tenista, Tony Godsick. "Ele tem muitos fãs brasileiros e já vinha pensando nisso há muito tempo." Por questões de calendário, Federer nunca disputou o Brasil Open, na Costa do Sauipe, apesar de receber convite todos os anos.  

O próprio Guga manifestou o interesse em jogar contra adversários de grande impacto como Federer e Rafael Nadal em entrevista ao Estado no final de 2010. No ano passado, sua exibição de final de temporada foi contra Andre Agassi, também ex-número 1 do mundo e dono de títulos em todos os Grand Slams.

Em dezembro, já está quase tudo acertado para que o rival do catarinense em novo jogo no Maracanãzinho seja Pete Sampras. O americano é até hoje recordista de permanência à frente do ranking mundial – 286 semanas, uma a mais que Federer. Sampras perdeu para Guga na semifinal da memorável campanha do título da Masters Cup em 2000.

Atualizado às 19h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.