Michael Dodge/Efe
Michael Dodge/Efe

Federer passa por nova cirurgia no joelho e anuncia que não jogará mais em 2020

Suíço termina a temporada de 2020 com apenas seis partidas e sem título, algo que não acontece desde 2001

Redação, Estadão Conteúdo

10 de junho de 2020 | 10h10

A temporada de 2020 acabou para Roger Federer. O tenista suíço anunciou nesta quarta-feira que ficará longe das competições até o início do próximo ano, depois de ser novamente operado no joelho direito. "Planejo aproveitar o tempo para estar 100% e poder jogar da melhor maneira possível", disse o ex-número 1 do mundo e atual quarto colocado do ranking da ATP, que completará 39 anos em agosto, em uma mensagem no Twitter.

Em fevereiro, pouco depois da disputa do Aberto da Austrália, Federer foi submetido a uma artroscopia para tratar de um recorrente incômodo e, inicialmente, já ficaria fora de Roland Garros e também dos torneios de Bogotá (exibição na Colômbia), Dubai (ATP 500 nos Emirados Árabes Unidos) e os Masters 1000 de Indian Wells e de Miami, ambos nos Estados Unidos. No entanto, a recuperação seguiu lenta e o suíço decidiu prolongar o tempo para o retorno.

"Meus queridos fãs, espero que estejam bem e saudáveis. Há algumas semanas, eu percebi que tive alguns recuos na minha reabilitação (da operação) e tive mais uma intervenção rápida ao joelho direito (artroscopia). Neste momento, tal como fiz em 2017, eu tenciono ter todo o tempo necessário para recuperar para que possa voltar ao meu melhor nível. Vou ter saudades dos meus fãs, mas eu espero voltar a vê-los quando regressar ao circuito no início da temporada de 2021. Tudo de bom, Roger", escreveu.

Severin Luthi, um dos treinadores do suíço, já havia afirmado no último domingo que a velocidade de melhora não estava como o imaginado. "A recuperação de Roger não está indo tão bem quando a gente esperava. Está mais lenta do que imaginávamos", resumiu em entrevista ao canal de TV suíço SRF.

Em suas últimas aparições, Federer chegou a mostrar alguma pequena movimentação em quadra debaixo de neve, no final de março. Depois, em conversa com o ex-tenista brasileiro Gustavo Kuerten há cerca de 15 dias, o suíço admitiu que ainda não voltou aos treinamentos, uma vez que não via necessidade de retornar às quadras sem o planejamento de torneios.

"Eu não estou treinando no momento porque, para ser honesto, não vejo uma razão para isso. Eu estou feliz com meu corpo agora e ainda acredito que a volta do circuito está muito longe. Acho que é importante para minha cabeça, nesse momento, aproveitar essa parada depois de jogar tanto tênis. Não sinto tanto falta e sei que eventualmente vou ter maior dificuldade quando estiver próximo de voltar e tiver um objetivo pelo qual treinar", afirmou, na ocasião.

Federer termina a temporada de 2020 com apenas seis partidas e um torneio disputado - o Aberto da Austrália, onde teve problemas físicos - e fecha um ano sem títulos apenas pela segunda vez desde 2001.

Tudo o que sabemos sobre:
Roger Federertênis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.