Federer promete bater recorde de Sampras

Número 1 do mundo acredita que passará o norte-americano no número de Grand Slams conquistados

Efe

18 de fevereiro de 2008 | 14h03

O tenista suíço Roger Federer, que entrou para a história ao levar o tetracampeonato do Prêmio Laureus de melhor atleta masculino do ano, disse que seu objetivo para 2008 é vencer dois torneios do Grand Slam e igualar a marca de 14 conquistados pelo americano Pete Sampras.Veja também: Roger Federer vence Kaká e leva o 'Oscar do Esporte 2007' "Penso no recorde e este é meu principal objetivo para este ano. Quero superá-lo", afirmou o suíço, número um do Ranking de Entradas da ATP. Ao falar sobre a derrota para o sérvio Novak Djokovic na semifinal do Aberto da Austrália e o possível surgimento de uma nova geração, ele disse: "Pode ser que algumas coisas estejam mudando no mundo do tênis", afirmou o suíço, que sempre esteve presente nas finais de torneios do Grand Slam desde a edição de 2005 de Wimbledon de 2005.Porém, o atual número três do ranking não é o adversário mais perigoso na opinião do suíço: "Djokovic está chegando com força, mas Nadal talvez seja o rival mais complicado. Já o enfrentei algumas vezes e ele me venceu com certa freqüência".Para Federer, o tetra da distinção é um reconhecimento à sua estabilidade como número um do tênis mundial. "O primeiro Laureus foi muito importante porque significava que tinha chegado à elite. Este significa que continuo aqui", destacou.O suíço também falou sobre a conquista da belga Justine Henin, no topo da WTA e eleita melhor atleta feminina de 2007: "Ela merece o prêmio porque fez uma grande temporada mesmo fora das quadras durante os primeiros meses do ano".Questionado sobre os rumores de doping que periodicamente sacodem o mundo do tênis, Federer assegurou que é "um esporte limpo", além de descartar a existência de apostas ilegais no circuito masculino. "É uma especulação, não podemos processar ninguém. E não acho que seja bom que falemos tanto sobre este tipo de coisa", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.