Felipe Trueba/EFE
Felipe Trueba/EFE

Federer sofre, mas estreia com vitória em Wimbledon

Ex-número 1 do mundo precisou de cinco sets para superar o colombiano Alejandro Falla, de virada

AE, Agência Estado

21 de junho de 2010 | 13h00

O suíço Roger Federer sofreu muito, nesta segunda-feira, para vencer em sua estreia no Torneio de Wimbledon. O tenista número 2 do mundo precisou jogar cinco sets para superar o colombiano Alejandro Falla, de virada, com parciais de 5/7, 4/6, 6/4, 7/6 (7/1) e 6/0, depois de 3 horas e 18 minutos de confronto.

Cabeça de chave número 1 da competição e atrás do seu sétimo título no Grand Slam inglês, Federer não perde um jogo em piso de grama no circuito profissional desde a final de Wimbledon de 2008, quando foi derrotado pelo espanhol Rafael Nadal em um confronto épico. Ele soma agora 52 vitórias em 57 duelos no tradicional torneio.

O confronto desta segunda foi o quinto entre Falla e Federer e o colombiano, até então, nunca havia vencido sequer um set do adversário. Atual 60.º colocado do ranking mundial, Falla já havia sido batido com facilidade pelo suíço duas vezes apenas neste ano, nos Torneios de Halle e Roland Garros. Antes disso, ele foi arrasado pelo tenista da Suíça em duelos na edição de 2004 de Wimbledon e de 2006 de Roland Garros.

Com a vitória sobre Falla, Federer enfrentará na segunda rodada o sérvio Ilija Bozoljac, que saiu do torneio qualificatório de Wimbledon e nesta segunda-feira superou o chileno Nicolas Massu por 3 sets a 1, com parciais de 7/6, 3/6, 6/3 e 7/6.

No confronto desta segunda-feira, Federer parecia estar convicto de que não precisaria se esforçar tanto para voltar a bater o freguês Falla, mas abusou dos erros no primeiro set e foi surpreendido. Ele desperdiçou as duas chances que teve de quebrar o saque do colombiano, que aproveitou uma das duas oportunidades para ganhar no saque do rival e sacar em seguida para fechar a primeira parcial em 7/5.

Confiante, Falla repetiu a dose no segundo set. Depois de quebrar o saque de Federer no sétimo game, ele abriu 4 a 3 e confirmou o seu serviço nos games seguintes para fazer 6/4 e abrir 2 a 0 no placar.

Nervoso com os seguidos erros que vinha cometendo - foram 40 não-forçados no confronto, contra 39 de Falla -, Federer voltou a passar por apuros no terceiro set, no qual precisou salvar quatro break points no nono game para confirmar o seu serviço. E, com uma quebra de saque logo no game seguinte, ele fechou a parcial em 6/4.

No quarto set, Federer exibiu sua instabilidade técnica logo no primeiro game, no qual teve o saque quebrado pelo colombiano, que em seguida abriu 2 a 0 com o saque na mão. Na sequência, Falla chegou a sacar para o jogo quando vencia por 5/4, mas voltou a sentir o peso da responsabilidade e viu o suíço quebrar o serviço e levar a disputa para o tie-break, no qual Federer foi soberano com uma vitória por 7 a 1.

No set final, porém, Federer transformou todo o sofrimento que vinha tendo em um massacre a seu favor, proporcionando um verdadeiro "choque de realidade" ao rival, que se tornou uma presa fácil. Com três quebras de saque, o suíço aplicou um "pneu" ao fazer 6/0 sobre o adversário.

Para vencer e espantar uma zebra histórica logo na estreia, Federer compensou o seu grande número de erros com 21 aces e 101 winners, contra oito saques sem defesa e 64 bolas vencedoras do rival, que teve melhor aproveitamento no primeiro serviço: 60% contra 59% do suíço, que fez sete duplas faltas, diante de duas do colombiano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.