Federer sofre para vencer Tipsarevic no Aberto da Austrália

Número 1 tem que suar a camisa para derrotar o sérvio Janko Tipsarevic, 49.º do mundo, por 3 sets a 2

Chiquinho Leite Moreira, O Estado de S. Paulo

19 de janeiro de 2008 | 10h00

Como os grandes gênios da arte, literatura, Roger Federer revelou-se também um imortal. Num dia em que suas raquetadas não tiveram seus traços marcantes e a habitual eficiência, ele mesmo assim sobreviveu ao ataque sérvio de Janko Tipsarevic e após 4h27 de exaustiva luta, venceu um jogo incrível que só terminou com 10 a 8 no quinto set - parciais de 6/7, 7/6, 5/7, 6/1 e 10/8. A ameaça ao número 1 do mundo foi constante. Por isso, aliviado depois do jogo, não hesitou em admitir que poderia ter sido eliminado ainda na terceira rodada do Aberto da Austrália. Veja também: Hewitt vence batalha de quase cinco horas contra Baghdatis  Ivanovic e Williams avançam às oitavas no Aberto da Austrália  Berdych bate Mónaco no Aberto da Austrália de tênis "Em alguns momentos cheguei a pensar que fosse perder", disse Federer. "Perdi muitas chances nos três primeiros sets e fiquei em desvantagem de 2 a 1. Fiquei surpreso com a boa atuação do Tipsarevic, seu saque e antes do jogo, achei que poderia ter vencido por 3 a 0, mas coisas foram bem diferentes."   Este foi o mais longo jogo de Federer, desde a final do Aberto de Roma de 2006, quando perdeu para Rafael Nadal. "Não estou acostumado partidas iguais a esta", admitiu o suíço. "Só mesmo contra o Nadal".   Essa vitória, pelas circunstâncias da disputa, comprova a condição de número 1 do mundo para Roger Federer. Líder do ranking da ATP desde fevereiro de 2004, mostrou que sabe vencer, mesmo nos dias em que nem tudo dá certo. Sentiu a falta de ritmo, pois seu último torneio havia sido em novembro, no Masters Cup de Xangai, em que foi campeão. Agora, vê vantagens. "Depois de tudo que passei, sinto-me muito mais confiante para ganhar um novo título."   Federer está em busca do quarto campeonato em Melbourne Park e o 13.º Grand Slam da carreira, o que poderia deixá-lo a apenas uma conquista de igualar o recorde de Pete Sampras.   Além dessa dramática vitória de Federer, o dia foi mesmo especial em Melbourne. A chuva levou todas as partidas para quadras cobertas. O número de surpresas foi grande. A ex-campeã Svetlana Kuznetsova perdeu para Agnieszka Radwanska, por 6/3 e 6/4, Anna Chakvetadze caiu diante de Maria Kirilenko, por 6/7, 6/1 e 6/2.   O vice-campeão do ano passado, Fernando Gonzalez perdeu para Marin Cilic por 6/2, 6/7, 6/3 e 6/1, enquanto os sérvios confirmaram o favoritismo. Novak Djokovic avançou ao superar Sam Querrey, por 6/3, 6/1 e 6/3, e Ana Ivanovic ganhou de Katarina Srebotnik por 6/3 e 6/4.   Croata elimina Fernando González   O croata Marin Cilic transformou-se uma das grandes surpresas do Aberto da Austrália ao eliminar, na terceira rodada, o chileno Fernando González com uma vitória por 3 sets a 1, parciais de 6/2, 6/7, 6/3 e 6/1.   Em partida disputada no Rod Laver Arena do Melbourne Park, o jovem croata de 19 anos não tomou conhecimento de González, cabeça-de-chave número sete do primeiro Grand Slam da temporada, e soube impor um forte ritmo de jogo para conquistar a vitória.   Após a partida, Cilic afirmou que esta foi uma das melhores atuações de sua carreira e um dos triunfos mais importantes, ao lado das duas vitórias conquistadas anteriormente contra o russo Nikolay Davydenko.   González participou pela oitava vez consecutiva do Aberto da Austrália. Seu melhor resultado aconteceu na edição do ano passado, quando chegou à final e foi derrotado pelo suíço Roger Federer. (Atualizado às 12h25)

Tudo o que sabemos sobre:
TênisAberto da AustráliaATP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.