Mike Groll/AP
Mike Groll/AP

Federer vacila, Djokovic vence e vai à final do US Open

Sérvio virou após perder os dois primeiros sets para o suíço; decisão está marcada para segunda

AE, Agência Estado

10 de setembro de 2011 | 18h42

NOVA YORK - Em uma batalha de 3 horas e 46 minutos de duração, o sérvio Novak Djokovic venceu o suíço Roger Federer por 3 sets a 2, de virada, com parciais de 6/7 (7/9), 4/6, 6/3, 6/2 e 7/5, neste sábado, 10, e garantiu vaga na final do US Open, último Grand Slam do ano.

 

O líder do ranking mundial chegou a estar muito perto da derrota, já que Federer teve dois match points a seu favor no último set, mas o sérvio mostrou coragem e força mental para se salvar e avançar à decisão em Nova York.

 

Com o triunfo, Djokovic agora espera pela definição do vencedor do confronto entre o espanhol Rafael Nadal e o britânico Andy Murray, que se enfrentam ainda neste sábado, na outra semifinal da chave masculina. A final será realizada apenas na segunda-feira.

 

A vitória deste sábado fez Djokovic dar o troco sobre Federer, que havia eliminado o rival na semifinal da última edição de Roland Garros, Grand Slam disputado na França.

 

E o triunfo deste sábado foi exaltado pelo sérvio após o confronto. "Foi a minha maior vitória neste ano e uma das maiores da minha carreira. Ele estava jogando melhor, mas eu consegui mudar de marcha e jogar melhor os últimos três sets", disse o tenista, para depois lembrar que conseguiu repetir o feito de 2010, quando Federer teve duas bolas do jogo para eliminar o adversário na semifinal do US Open, mas também não soube aproveitá-las e acabou derrotado.

 

"Foi muito parecido com o ano passado, quando o Federer também teve dois match points, mas consegui vencer", acrescentou o sérvio, que pela terceira vez avança à decisão em Nova York.

 

Djokovic também se garantiu em sua terceira final de Grand Slam neste ano, depois de ter sido campeão do Aberto da Austrália e de Wimbledon. Já Federer amargará a sua primeira temporada sem nenhum título de Grand Slam desde 2003.

 

O JOGO

O duelo entre Federer e Djokovic começou muito equilibrado neste sábado. Sólidos no saque, eles não sofreram quebras no primeiro set, que só foi definido no tie-break, no qual o suíço chegou a abrir 6 a 3, mas permitiu o empate do sérvio e apenas depois liquidou a parcial em 9/7.

 

No segundo set, o atual terceiro colocado do ranking mundial parecia encaminhar a sua vitória ao quebrar o saque do rival por duas vezes, ser superado uma outra vez com o seu serviço na mão e fazer 6/4.

 

A partir da terceira parcial, porém, Djokovic começou a sua reação de forma espetacular e mostrou que segue em ótima forma física. Com uma quebra de saque, ele abriu vantagem e confirmou os seus serviços para fazer 6/3. Em seguida, no quarto set, o sérvio foi ainda mais superior para vencer com mais facilidade por 6/2 e levar a disputa para a quinta parcial.

 

No quinto set, Federer conseguiu uma quebra de vantagem e, com o saque na mão, chegou a ter dois match points, mas viu o sérvio salvar o primeiro deles com um corajoso winner de devolução, depois empatar por 40 a 40 e conseguir a quebra de saque. E, motivado e mais inteiro fisicamente, Djokovic acabou quebrando o saque de Federer no 11.º game e depois sacou para fazer 7/5 e liquidar o duelo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.