Federer vai fazer a final contra Agassi

O tenista suíço Roger Federer confirmou o favoritismo e garantiu sua vaga na final do US Open. Em Nova York, ele ganhou do australiano Lleyton Hewitt por 3 sets a 1, com parciais de 6/3, 7/6 (7/0), 4/6 e 6/3, em 3 horas exatas de jogo. E assim, o número 1 do mundo decidirá o título do torneio contra o veterano norte-americano Andre Agassi, neste domingo, a partir das 17h30 (horário de Brasília).O jogo deste domingo pode ser o último de uma brilhante história no tênis. Aos 35 anos, com 60 títulos em seu currículo, sendo dois deles no US Open, Agassi pensa em aposentadoria, apesar de não admitir publicamente. Agassi está em sua 6ª final do US Open - ganhou em 1994 e 1999 -, depois de ter vencido a semifinal deste sábado contra o também norte-americano Robby Ginepri, por 6/4, 5/7, 6/3, 4/6 e 6/3. Já Federer defende o título conquistado no ano passado.Apesar de ser o jogador mais velho a chegar a uma final do US Open em 31 anos, Agassi está em grande forma. Disse, inclusive, estar surpreso por se sentir tão bem após jogos muito difíceis nas últimas rodadas do torneio. E, tranqüilo, se esquiva do assunto aposentadoria. Algumas horas dá pistas de que pode mesmo se retirar e em outras aumenta o suspense e revela que seu sonho seria ganhar o US Open neste domingo e voltar a jogar o torneio em 2006. Mas Agassi terá o melhor do mundo pela frente na final deste domingo. O que o faz lembrar do incríveis duelos que teve com o também norte-americano Pete Sampras, com quem manteve longa rivalidade. "Não tem um golpe bom... todos são excelentes", elogiou Agassi, ao comentar as caraterísticas de seu rival na final deste domingo. "Se você jogar mal com Pete (Sampras), pode perder por 6/4 e 7/5. Se jogar bem, também perde por 6/4 e 7/5. Contra o Federer, se jogar bem perde por 6/4 e 7/5, mas se jogar mal perde por 6/1 e 6/1." Agassi e Federer já se enfrentaram 10 vezes. O norte-americano ganhou as três primeiras, entre os anos de 1998 e 2002. Depois disso, o suíço venceu todas as partidas - as três últimas foram neste ano, no Aberto da Austrália, no ATP de Dubai e no Masters Series de Miami, sem ter cedido um set sequer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.