Tim Ireland/AP
Tim Ireland/AP

Federer volta a perder set, mas derrota bósnio e vai à 3ª rodada do US Open

Mais uma vez, o suíço sofreu com a irregularidade, mas conseguiu seguir adiante

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de agosto de 2019 | 17h53

Ainda tentando encontrar o seu melhor tênis neste US Open, Roger Federer voltou a precisar de quatro sets e de uma virada para vencer na quadra dura do quarto Grand Slam da temporada. O suíço venceu o bósnio Damir Dzumhur por 3 sets a 1, com parciais de 3/6, 6/2, 6/3 e 6/4, em 2h22min. O dono de cinco títulos em Nova York avançou à terceira rodada.

Como aconteceu em seu jogo de estreia, o atual número três do mundo sofreu com a irregularidade e o alto número de erros não forçados. Jogando de forma indoor, sob o teto fechado da Arthur Ashe Stadium, o suíço cometeu 45 falhas, contra 40 do rival. Na segunda, diante do indiano Sumit Nagal, ele havia cometido incríveis 57 erros não forçados também em um jogo de quatro sets.

Em compensação, o favorito disparou o dobro do número de bolas vencedoras do adversário: 58 a 26. Mas a significativa estatística não ofuscou a postura ansiosa e errática em quadra ao longo dos quatro sets nesta quarta-feira.

Tentando acelerar os pontos desde o primeiro game da partida, Federer perdeu o saque por duas vezes seguidas logo no set inicial. Dzumhur, atual 99º do mundo, abriu 4/0 no placar, surpreendendo o público presente na quadra central. O suíço devolveu uma das quebras, mas não evitou a derrota na primeira parcial.

A partir do segundo, Federer passou a jogar de forma menos ansiosa, mas ainda assim com muitas falhas. Foi o suficiente para assumir o controle da partida. O bom saque também ajudou. Foram 16 aces em toda a partida, contra apenas dois do bósnio. A partir desta parcial, Federer até sofria ameaças ao seu saque, mas sem conceder novas quebras.

Mais confiante na reta final do confronto, o pentacampeão do US Open fez valer a maior experiência e jogo mais sólido para confirmar o favoritismo. Na terceira rodada, quando disputará sua 100ª partida no Grand Slam norte-americano, o vice-campeão de Wimbledon terá pela frente o vencedor do duelo entre o britânico Daniel Evans e o francês Lucas Pouille.

Mais cedo, o japonês Kei Nishikori também precisou de quatro sets para avançar na chave. Ele superou o local Bradley Klahn, algoz do brasileiro Thiago Monteiro, por 6/2, 4/6, 6/3 e 7/5. Já o búlgaro Grigor Dimitrov não precisou suar para avançar, porque o croata Borna Coric abandonou a competição em razão de dores nas costas.

No feminino, a checa Karolina Pliskova e a veterana Venus Williams, ambas ex-líderes do ranking, tiveram destinos opostos nesta quarta. Pliskova bateu a georgiana Mariam Bolkvadze por 6/1 e 6/4. Já a tenista da casa foi eliminada pela ucraniana Elina Svitolina, quinta cabeça de chave, por duplo 6/4.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.