Ali Haider/EFE
Ali Haider/EFE

Federer volta atrás e diz que jogará Torneio da Basileia

Pentacampeão da competição, tenista garantiu que possibilidade de não jogar era apenas 'especulação'

AE-AP, Agência Estado

10 de abril de 2013 | 11h57

BASILEIA - Depois de ter anunciado, em novembro passado, um calendário para a temporada de 2013 que não previa a sua participação no Torneio da Basileia, que será em outubro, o suíço Roger Federer voltou atrás em sua decisão anterior de não participar do ATP 500 realizado em seu país.

O atual terceiro colocado do ranking mundial do tênis, porém, garantiu que não passava de especulação a possibilidade dele não jogar o Swiss Indoors, como é chamado o Torneio da Basileia, por causa de uma disputa contratual.

O seu calendário divulgado em novembro previa a realização de 14 torneios neste ano, mas agora prevê 15 com a inclusão da competição suíça, da qual Federer é pentacampeão. "Todos sabem o quanto esse torneio significa para mim, o que ainda é uma verdade", disse o recordista de títulos de Grand Slam ao jornal suíço Tages Anzeiger.

Federer ainda minimizou a importância do fato de que, anteriormente, não inclui o Swiss Indoors em seu calendário de 2013. "Eu nunca disse que não jogaria na Basileia. E agora estou tentando tornar essa questão complicada mais simples", enfatizou.

"Não estava em meu calendário, mas estava claro que jogaria na Basileia, não havia confirmado até agora, mas chegou o momento", completou o ex-número 1 do mundo, cujo contrato que firmou para a sua participação no torneio suíço se encerrou depois da derrota para o argentino Juan Martín del Potro, na final da edição passada da competição.

A imprensa suíça chegou a noticiar que os empresários de Federer pediram uma quantia muito alta para renovação do contrato, o que não teria sido aceito pela organização do ATP 500 suíço. O tenista de 31 anos, porém, assegurou: "Posso jogar na Basileia sem qualquer tipo de contrato ou acordo". E ele lembrou também que atuará no torneio "pelos seus fãs e por ele mesmo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.