Daniel Vorley/Divulgação
Daniel Vorley/Divulgação

Feijão derrota algoz de Bellucci e vai às quartas do Brasil Open

Brasileiro vira sobre o eslovaco Martin Klizan em jogo que invadiu a madrugada. Nesta sexta, ele enfrenta o argentino Leonardo Mayer

Nathalia Garcia , O Estado de S. Paulo

13 de fevereiro de 2015 | 00h37

Com o apoio da barulhenta torcida brasileira no Ginásio do Ibirapuera, João Souza, o Feijão, lutou muito diante do eslovaco Martin Klizan, virou o jogo e se garantiu pela primeira vez nas quartas de final do Brasil Open, em São Paulo. O paulista superou o algoz de Thomaz Bellucci por 2 sets a 1 com parciais de 3/6, 6/3 e 6/2, na partida que invadiu a madrugada desta sexta-feira. A vitória manteve vivo o sonho do País de ver um tenista da casa ficar com o título de simples da competição. 

A última vez que um anfitrião ficou com o troféu do Brasil Open na chave de simples foi em 2004, quando Gustavo Kuerten foi campeão na Costa do Sauípe, na Bahia. Desde 2012 a competição passou a ser disputada em São Paulo. A presença de Feijão na chave principal marca a sua sexta participação no torneio e foi garantida apenas depois de ter recebido o wild card (convite) da organização. Nas edições anteriores, o brasileiro só havia chegado à segunda rodada e em três ocasiões: 2011, 2013 e 2014.

O próximo rival de Feijão, número 110 do ranking mundial, será o argentino Leonardo Mayer, que se credenciou para a próxima fase ao bater o espanhol Albert Ramos-Vinolas por 2 sets a 1. O confronto será nesta sexta-feira, não antes das 17 horas. O encontro também pode marcar uma prévia da Copa Davis, caso os dois tenistas sejam convocados para representarem os seus países. Brasil e Argentina se enfrentam entre 6 e 8 de março, em Buenos Aires, pelo Grupo Mundial.

O JOGO
O jogo começou com pouca troca de bola dos dois lados da quadra e com tenistas mais concentrados no saque. Depois de arrancar dois aces no início da partida, o brasileiro foi sendo envolvido pelo rival e teve o saque quebrado no quarto game, cedendo 3/1 para o eslovaco. Klizan enfrentou certa resistência, mas confirmou o serviço: 4/1. Na sequência, Feijão encontrou bastante dificuldade para arrancar mais um game do adversário. Não demorou até o estrangeiro fechar o primeiro set por 6/3.

Apesar de um erro bobo na rede, Feijão voltou mais ofensivo e teve oportunidade de ficar à frente do placar logo no segundo game ao abrir 40/0. Mas ele desperdiçou suas três chances e até uma quarta tentativa e viu Klizan fazer 1/1. No novo saque do adversário, o brasileiro foi empurrado pelos gritos do público presente no Ibirapuera e dessa vez não decepcionou, conseguindo arrancar 3/1. Com o apoio dos fãs, o tenista de Mogi das Cruzes passou a encontrar mais facilidade em seus serviços e quase arrancou nova quebra no sexto game. Foi a vez de Feijão garantir o segundo set por 6/3.

Embalado pela boa atuação da segunda etapa, o brasileiro soube se impor sobre o já cabisbaixo Martin Klizan. Além de confirmar os seus saques, Feijão já começou quebrando o serviço do rival e ficando em vantagem. O eslovaco passou a se incomodar com as intensas manifestações da torcida, apontando o polegar e mandando beijos para os brasileiros, e acabou perdendo a concentração. O dono da casa aproveitou a situação para ampliar a sua vantagem, fazer 5/2 e sacar para fechar a partida. No game decisivo, Feijão não deixou a vitória escapar e cravou 6/2 para fechar a terceira parcial e a partida.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisBrasil OpenFeijãoMartin Klizan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.