Leandro Martins/Divulgação
Leandro Martins/Divulgação

Feijão elimina top 30 do mundo e vai à semifinal do Brasil Open

João Souza, 110.º do ranking, derrota o argentino Leonardo Mayer e enfrenta no sábado o italiano Luca Vanni por um lugar na decisão

NATHALIA GARCIA, O Estado de S. Paulo

13 de fevereiro de 2015 | 20h09

João Souza, o Feijão, vai mesmo colocando o seu nome na história do Brasil Open. O paulista não se intimidou com o argentino Leonardo Mayer, 30º colocado do ranking da ATP, e garantiu a classificação às semifinais da competição nesta sexta-feira. Com o apoio do público no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, o tenista dono da casa largou na frente, cedeu o empate e buscou a vitória por 2 sets a 1, com parciais de 6/4, 3/6, 6/3.

O brasileiro - que entrou no torneio por convite da organização - já tem muito o que comemorar. Essa foi a melhor participação de Feijão, número 110 do mundo, entre as seis edições que disputou. Até então havia parado na segunda rodada em três ocasiões (2011, 2013 e 2014). E ainda venceu um tenista Top 30 pela primeira vez na carreira. Com esse resultado, ele fica cada vez mais próximo de voltar para o grupo dos 100 melhores tenistas do mundo.

O triunfo também mantém vivo o sonho de ver um tenista da casa como campeão do Brasil Open. A última vez que um anfitrião ficou com o troféu do torneio na chave de simples foi em 2004, quando Gustavo Kuerten levou o título na Costa do Sauipe, na Bahia. A partir de 2012, a competição passou a ser disputada em São Paulo.

Na semifinal, Feijão enfrentará o italiano Luca Vanni, que pouco antes ganhou do sérvio Dusan Lajovic por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (7/5) e 7/6 (7/4). O confronto será neste sábado, às 13 horas. O duplista Marcelo Melo também entrará em quadra um pouco mais tarde na briga por uma vaga na decisão do torneio. Ao lado do austríaco Julian Knowle, o mineiro enfrentará os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah não antes das 16h30.

Mayer entrou em quadra bastante seguro e confirmando os seus serviços rapidamente, sem muito esforço. Já o brasileiro parecia encontrar mais dificuldades no início. Mas aos poucos foi se soltando e passou a ser mais ofensivo. No sétimo game, Feijão chegou perto de se colocar em vantagem, mas o argentino não deu bobeira e garantiu o seu ponto com um ace. Porém, não teve a mesma sorte no saque seguinte. O dono da casa teve duas chances de quebra e não perdoou na segunda oportunidade, abrindo 5/4. Convicto, Feijão não deixou Mayer pontuar e fez a sua parte ao fechar o primeiro set no game seguinte.

O brasileiro não começou a etapa seguinte do jeito que o público esperava. No segundo game, ele deixou Mayer à vontade e teve de salvar quatro break points para fazer 1/1. O "hermano" voltou a mostrar segurança na sua vez de sacar e a exigir mais trocas de bola no serviço do anfitrião e, assim, conseguiu se colocar à frente no placar por 3/1. Em seguida, Mayer só precisou administrar a vantagem para levar o set pelo placar de 6/3. Tudo igual na partida.

No começo do terceiro set, o bom momento continuava sendo do argentino. Mayer por pouco não largou a etapa derradeira em vantagem. Nesse momento, a torcida do Ibirapuera pareceu ter despertado e passou a apoiar Feijão com mais entusiasmo. O brasileiro respondeu aos estímulos instantaneamente e quebrou o saque do argentino, abrindo 2/0. A partir disso, o brasileiro cresceu na partida e não deu mais chance para o adversário. Foi só manter o ritmo e fechar o terceiro set e a partida.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisBrasil OpenFeijão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.