Fernando González atropela Haas e encara Federer na final

Sensação do Aberto da Austrália, o chileno Fernando González passeou na quadra central de Melbourne e, nesta sexta-feira, arrasou o alemão Tommy Haas por 3 a 0 (6/1, 6/3 e 6/1) na semifinal do torneio. Com a vitória González encara nada mais, nada menos que o suíço Roger Federer (número um do mundo) na final, domingo. Na partida desta sexta o chileno marcou números impressionantes, principalmente os somente três erros não forçados. Além disso, González teve 42 bolas vencedoras e nove aces. Essa é a primeira final de Grand Slam dele e o fato é a grande surpresa da competição, pois, além dos ótimos resultados, González teve extrema facilidade derrotar tenistas como o espanhol Rafael Nadal (número dois do mundo), o russo Nikolay Davydenko e o próprio Haas. O Chileno começou a partida logo abrindo 2/0. Haas, então, deu a impressão de que iria reagir. Salvou um 0/40 e teve 0/30 a seu favor no game seguinte. Porém, a reação parou por aí, pois González confirmou o serviço, ganhou mais cinco games seguidos e fechou o primeiro set em apenas 28 minutos. Haas equilibrou mais as coisas no segundo set, mas o chileno estava inspirado. Novamente quebrou o alemão no início e não demorou a chegar a 3/0, administrar a vantagem e fechar em 6/3, após 34 minutos. O alemão tentou de tudo, mas errou muito (21 erros não forçados) e no terceiro set foi quebrado logo no game de abertura e foi completamente dominado por González, que repetiu o 6/1 do primeiro set. Na decisão contra Federer, que também havia massacrado o norte-americano Andy Roddick na outra semifinal, o chileno promete um jogo bastante acirrado, já que vive a melhor fase da carreira. "Estou me sentindo muito bem aqui em Melbourne e mesmo que a diferença entre nós é evidenciada no ranking, esse é só mais um jogo para mim no torneio. Não posso pensar muito que do outro lado da quadra está o número um do mundo. O que preciso fazer é aproveitar meu bom momento", afirmou González após a partida desta sexta. O retrospecto mostra uma vantagem imensa para o suíço, que venceu as nove partidas disputadas entre eles. Seja no saibro, em piso sintético (como em Melbourne) ou na grama, Federer sempre levou a melhor. Mas somente com a classificação para a final, o chileno deverá integrar a partir da próxima semana o grupo dos cinco melhores tenistas do mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.