Ferrer é cortado por lesão e não poderá voltar à Espanha contra Rússia na Davis

Atual sétimo tenista do ranking mundial, David Ferrer havia sido convocado na última terça-feira para defender a Espanha na Copa Davis após quase três anos de ausência. Nesta sexta, porém, ele foi cortado do time nacional que enfrentará a Rússia, entre os próximos dias 17 e 19, em Vladivostok, no confronto em que seu país lutará para voltar aos playoffs do Grupo Mundial da competição.

Estadão Conteúdo

10 de julho de 2015 | 18h45

A nova capitã da Espanha da Davis, Conchita Martínez anunciou que Ferrer será substituído por Tommy Robredo. O atual número 1 da Espanha acabou descartado do confronto após ser submetido a um exame médico que detectou que ele ainda sofre com o problema no cotovelo que obrigou o tenista a desistir de disputar Wimbledon, Grand Slam que será encerrado neste final de semana, em Londres.

Por meio de um comunicado, Martínez agradeceu Ferrer pelo "seu desejo de todas as vezes quer ajudar a equipe" e desejou ao atleta uma rápida recuperação. Para completar, a capitã ainda informou que Jaume Antoni Munar foi convocado para o lugar do tenista reserva Daniel Gimeno Traver da equipe espanhola diante dos russos.

Os outros convocados da Espanha foram Pablo Andújar, Marc López e David Marreno. Ferrer não representa o seu país na Davis desde o final de 2012. A ausência é fruto do boicote feito pelos principais tenistas espanhóis à gestão do ex-presidente da Real Federação Espanhola de Tênis (RFEF), José Luís Escañuela, e ao trabalho da ex-capitã do time nacional, Gala León.

O dirigente renunciou ao seu cargo, enquanto Gala foi demitida por Fernando Fernández Ladreda, novo presidente da RFEF, que agora tem o apoio dos tenistas do primeiro escalão. De volta ao time nacional na Davis, Ferrer não joga pela competição desde quando disputou a final da competição em 2012, contra a República Checa.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisCopa DavisEspanhaDavid Ferrer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.