Marcos de Paula/ Estado
Marcos de Paula/ Estado

Ferrer supera Fognini na final e é campeão do Rio Open

Espanhol conquista oitava vitória sobre adversário 23º título de simples da carreira; italiano termina como vice pela sexta vez

MARCIO DOLZAN, Estadão Conteúdo

22 de fevereiro de 2015 | 19h49

David Ferrer manteve na noite deste domingo o domínio espanhol no Rio Open, maior torneio de tênis da América do Sul. Ele derrotou o italiano Fabio Fognini - algoz do também espanhol Rafael Nadal, campeão no ano passado - por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/3, em 1h23. Assim, conquistou com autoridade a competição de nível ATP 500 e chegou ao seu 23º título no circuito profissional.

Logo após o jogo, Ferrer fez um longo agradecimento e prometeu voltar para defender o título no próximo ano. “Foi uma semana especial para mim, a começar pela participação no carnaval com Guga e Nadal”, brincou. “Agora só falta aprender a sambar.”

Fognini reconheceu o melhor jogo do adversário, que o derrotou pela oitava vez em oito confrontos. “Me faltou um pouco mais”, resignou-se. E, olhando para o ex-tenista Gustavo Kuerten, brincou. “Guga, precisava de você.” Foi aplaudido.

Presentes à cerimônia de premiação, o ministro do Esporte, George Hilton (PRB), e o secretário estadual Marco Antônio Cabral (PMDB) foram vaiados pelo público quando tiveram seus nomes anunciados.

Nono colocado no ranking da ATP, o espanhol entrou em quadra como favorito após a eliminação de Rafael Nadal no sábado à noite. Cabeça de chave número 2, Ferrer havia vencido todos os sete confrontos anteriores contra Fognini. Ele também vinha mais descansado. Além de ter jogado mais cedo no sábado, fez uma partida de dois sets contra o austríaco Andreas Haider-Maurer na semifinal, enquanto Fognini precisou suar muito para bater Nadal por 2 a 1 no último jogo do dia.

Na decisão, Fognini e Ferrer fizeram um confronto equilibrado nos primeiros minutos, explorando muito a força e as jogadas de fundo de quadra. Mais agressivo, o espanhol, que começou sacando, conseguiu quebrar o serviço do italiano apenas no quarto game, momento em que abriu 3 a 1.

Na quarta parcial, Fognini começou a repetir erros na devolução, facilitando a vida de Ferrer. E isso levou o jogador a sentir também o aspecto psicológico. No sétimo game, errou um lance e, irritado, jogou a raquete no chão. Foi vaiado. Na parcial seguinte, Ferrer quebrou o saque mais uma vez e fechou o set em 6/2, após 37 minutos.

O início do segundo set foi praticamente uma cópia do primeiro. Depois de um duelo parelho nas três primeiras parciais, em que Ferrer e Fognini confirmaram seus saques, o espanhol quebrou o serviço do italiano no quarto game, e abriu mais uma vez 3 a 1 no placar.

Ferrer confirmaria seu saque no game seguinte e quebraria o serviço do italiano mais uma vez sexta parcial. Fognini, então, esboçou uma reação: o italiano devolveu a quebra no game seguinte, venceu a oitava parcial e diminuiu o placar para 5 a 3. Mas aí Ferrer confirmou seu saque e fechou em 6/3.

Com o título, o cabeça de chave número 2 do Rio Open confirma a boa fase na temporada, que começou com o título do ATP 250 de Doha, no Catar, em janeiro. Ferrer também repete o que fizera em fevereiro do ano passado, quando superou Fognini na final do Torneio de Buenos Aires, naquele que havia sido seu último título no saibro.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisRio OpenDavid Ferrer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.