Ferrero rejeita apelido de ?Mosquito?

É impressionante a campanha de Juan Carlos Ferrero em Roland Garros e também na temporada européia de saibro. O próximo desafio de Gustavo Kuerten, em uma das semifinais da sexta-feira em Paris, destruiu mais um rival no seu caminho: ganhou do australiano Lleyton Hewitt por inesperados 6/4, 6/2 e 6/1. E fixa-se na maior ameaça ao brasileiro na briga pelo título de 2001."Acho que as chances estão divididas entre 50% para cada jogador", disse Ferrero. "No ano passado perdi para Guga nas semifinais, mas acho que este ano estou jogando melhor, estou mais bem preparado e acho que não vou deixar escapar esta chance." Conhecido como "mosquito" Ferrero não quer mais ser chamado pelo apelido. Fez até um pedido especial para a imprensa espanhola e foi atendido de imediato. Afinal, é hoje a maior esperança de seu país em manter a tradição de vitórias em Roland Garros. Confiança não falta a este jogador. "Acho que este pode ser o meu ano", disse.Além de passar por cima de Hewitt, Ferrero vem mesmo conquistando resultados brilhantes este ano na temporada européia de saibro. Conquistou títulos importantes como Estoril, Barcelona, do Masters Series de Roma (venceu Guga na final) e foi vice-campeão na semana seguinte no Masters Series de Hamburgo. Revela um impressionante retrospecto em quadras de saibro de 27 vitórias contra apenas duas derrotas.Bem humorado com tantas boas coisas acontecendo em sua vida, Ferrero surpreendeu ao dizer que vai aproveitar esta quarta-feira de folga para passear. Contou que irá andar de barco pelo rio Sena e depois conhecer o parque do Asterix. A história até pareceu uma ironia, pois nenhum jogador costuma se desligar tanto de uma competição próximo de uma semifinais, mas Ferrero assegurou que este é mesmo o seu plano.

Agencia Estado,

05 de junho de 2001 | 14h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.