Final da Davis será espetacular, afirma capitão da Espanha

Ex-tenista Emilio Sánchez diz que todos os confrontos entre espanhóis e argentinos serão de alto nível

EFE,

30 de outubro de 2008 | 18h26

O ex-tenista Emilio Sánchez, capitão da equipe espanhola da Copa Davis, assegurou que seus comandados e a Argentina farão uma final "espetacular" este ano, de 21 a 23 de novembro em Mar del Plata."Será uma decisão espetacular, tanto pela amizade que une os jogadores das equipes como pelos laços entre os dois países e pelo equilíbrio. As chances são de 50% para cada um, mas eles (os argentinos) têm a favor o fato de jogar em casa", afirmou."Qualquer um pode vencer, não há um ponto seguro para nenhuma equipe. Só sei que podemos lutar pelos cinco pontos e, se lutarmos, temos chances", completou o capitão.Sánchez, que está em Paris acompanhando o Masters Series local, não quis revelar quais serão os jogadores a serem usados na decisão.Apesar de lembrar que 90% das finais da Davis nos últimos anos foram decididas a favor dos donos da casa, o capitão deixou claro que o favoritismo pouco importa. "O que vale é ganhar nesse momento. É preciso lidar com a torcida, com os adversários e com seu próprio tênis. A fórmula é pensar apenas em você e dar o melhor possível. Quem melhor administrar os fatores externos levará a final".Por enquanto, Sánchez conta com cinco jogadores para a decisão: Rafael Nadal, David Ferrer, Fernando Verdasco, Feliciano López e Tommy Robredo."Tento levar as equipes mais competitivas. Para isso é preciso avaliar diferentes aspectos, tanto esportivos como psicológicos", comentou.A única revelação feita por ele foi a dupla, formada por López e Verdasco. Caso um deles se machuque, há a possibilidade de Nadal entrar.O capitão afirmou não ter "nenhuma inquietação" sobre um suposto cansaço psicológico de Nadal. Ele espera um bom desempenho do número 1 do mundo na Masters Cup, já que considera o ritmo de jogo melhor do que muitos treinos.Sánchez reconheceu que os tenistas argentinos tiveram melhores resultados do que os espanhóis no final da temporada 2008. "David Nalbandian está igual ao ano passado, em um grande momento. Jun Martín del Potro é mais uma incógnita porque é mais novo, não sabemos como ele reagirá em situações delicadas", declarou.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa Davistênis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.