Martin Bureau/ AFP
Martin Bureau/ AFP

França libera apenas atletas estrangeiros vacinados para disputas esportivas

Grand Slam de judô, torneio de rúgbi e jogos internacional de futebol serão afetados; Roland Garros também pode ser impactado

AFP, O Estado de S.Paulo

31 de janeiro de 2022 | 22h19

Atletas estrangeiros poderão competir na França desde que sejam vacinados contra a covid-19 com qualquer uma das vacinas existentes e respeitem os protocolos de saúde, de acordo com determinação do Ministério do Esporte francês desta segunda-feira, 31. Isso significa que todas as vacinas serão aceitas, inclusive a russa Sputnik e as chinesas da Sinovac ou Sinopharm.

A decisão pode ter impacto direto na participação do tenista número 1 do mundo, o sérvio Novak Djokovic, no torneio de Roland Garros. Neste mês, Djokovic foi deportado da Austrália por não justificar a ausência de vacinação contra a covid-19.

Com isso, o sérvio ficou impedido de disputar o Aberto da Austrália – o torneio foi vencido pelo espanhol Rafael Nadal. A competição francesa está marcada para começar em 22 de maio.

Na França, atletas estrangeiros serão autorizados a competir “se apresentarem um esquema completo de vacinação em seus países e respeitarem um rigoroso protocolo de bolha sanitária”, que inclui "um teste a menos de 24 horas" de sua entrada na competição, especificou o órgão.

Essas regras se aplicam ao Grand Slam de Judô em Paris (5 a 6 de fevereiro), às partidas do torneio Nations de rúgbi e também aos jogos internacionais de futebol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.