Marcelo Ruschel/Poa Press/Divulgação
Marcelo Ruschel/Poa Press/Divulgação

Fuso horário na Rússia atrapalha preparação da equipe brasileira na Davis

Mesmo tendo chegado com antecedência, tenistas ainda sentem efeitos da diferença de horário

GIULIANDER CARPES, Agência Estado

14 de setembro de 2011 | 14h56

A equipe brasileira da Copa Davis esperava enfrentar um cenário adverso em Kazan. Mas se surpreendeu positivamente. Foram bem recebidos pelos russos, a estrutura da Academia de Tênis da cidade, onde vai ser disputado o confronto da repescagem, é excelente e o piso das quadras está menos rápido e perigoso do que o esperado. O maior problema é o fuso horário.

Embora tenha chegado com bastante antecedência - na madrugada de sexta para sábado -, a equipe ainda sente os efeitos do diferença de sete horas em relação a Brasília. Foi comum para alguns dos jogadores perder o sono no meio da noite e sentir cansaço excessivo durante as sessões de treinamento.

"Esse fuso de sete horas é intermediário então não é como o da Austrália (13 horas), por exemplo, que você só troca o dia pela noite. O fuso da Rússia te quebra bem no meio. Acaba sendo bem mais difícil se acostumar", contou o duplista Bruno Soares. "Alguns de nós ainda estão sentindo os efeitos, embora a antecedência com que chegamos. Eu mesmo perdi o sono vários dias. Mas acho que até sexta-feira esta desvantagem já estará zerada."

A quadra, que era para ser um ponto negativo, pode até ajudar. "O piso está bem áspero, o que acaba diminuindo um pouco a velocidade da bola. O Thomaz, que tem um bom saque, pode se beneficiar disso", explicou o capitão brasileiro João Zwetsch.

O confronto começa nesta sexta-feira, às 8 horas (de Brasília) com as duas primeiras partidas de simples entre o número 1 e o número 2 de cada país. O sorteio para definir a ordem dos jogos, quando será esclarecida a escalação dos russos, ocorre na manhã desta quinta-feira. O número 1 russo é Mikhail Youzhny, que caiu 17 posições no ranking com eliminação na primeira rodada do US Open e agora ocupa o 32º posto. Dmitry Tursunov, 41º do mundo, deve ser confirmado como número 2.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.