Gambill elimina Guga em Indian Wells

Sem encontrar alternativas para superar a regularidade e o bom jogo do norte-americano Jan Michael Gambill, Gustavo Kuerten disse adeus a disputa do título do primeiro Masters Series do ano, em Indian Wells. Guga perdeu nesta quinta-feira por 2 sets a 0, parciais de 7/6 (7/5) e 6/4, mas ainda assim vai manter-se na liderança do ranking mundial. Nem, por isso, Guga deixou de ficar decepcionado e irritado com a derrota. Voltou a reclamar de marcações dos juízes de linha e em certos momentos encontrou dificuldades para manter o controle emocional.Gambill, 19º do ranking mundial, e que jamais havia vencido Guga nas duas partidas anteriores, fez uma atuação impecável. Sacou com precisão e com seu estilo próprio de bater tanto a direita como a esquerda com as duas mãos colocou golpes poderosos de fundo de quadra. Agora, Gambill vai disputar as quartas-de-final diante do russo Yevgeny Kafelinikov, que eliminou o croata Goran Ivanisevic por 5/7, 6/2 e 6/3.Enquanto isso, Guga não esteve tão regular como de costume em seus golpes. Cometeu um número acima de sua média de erros, ou seja, deu pontos de graça para o adversário e pagou com uma derrota inesperada nas oitavas-de-final de Indian Wells. O tenista brasileiro pareceu cansado, depois de uma sequência de jogos tão grande, em que havia ganho dois torneios seguidos, em Buenos Aires e Acapulco, e sentiu dificuldades para manter o mesmo nível de atuação.No primeiro set, Guga chegou a estar perdendo por 5 a 2, e deixou a impressão de que poderia mudar o rumo da história, ao empatar por 5 a 5, levar a decisão para o tiebreak. Não manteve a reação e perdeu o desempate. Na segunda série, o tenista norte-americano manteve seu ritmo de jogo, enquanto o brasileiro acentuou sua irregularidade.Apesar da derrota, Guga vai chegar ao próximo Masters Series, semana que vem em Miami, como o número 1 do mundo e, portanto, o principal cabeça-de-chave da competição. Neste torneio, Ericsson Open, Guga defende 350 pontos do vice-campeonato do ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.