Goffin bate britânico com grande virada e Bélgica sai na frente na final da Davis

Com uma forte virada, David Goffin colocou a Bélgica em vantagem sobre a Grã-Bretanha na abertura da final da Copa Davis, nesta sexta-feira. Jogando em casa, no saibro de Ghent, o belga precisou mostrar todo seu poder de reação para superar o jovem Kyle Edmund, atual número 100 do ranking, por 3 sets a 2, com parciais de 3/6, 1/6, 6/2, 6/1 e 6/0, em 2h47min de confronto.

Estadão Conteúdo

27 de novembro de 2015 | 14h01

O triunfo deixou a Bélgica com 1 a 0 na série melhor-de-cinco jogos deste confronto decisivo da Davis. Na sequência, Andy Murray poderá empatar o duelo se confirmar o favoritismo sobre o local Ruben Bemelmans, 108º do ranking. Vice-líder da lista da ATP, Murray é a grande esperança britânica para encerrar um jejum de 78 anos sem títulos na Davis.

Favorito no primeiro jogo desta sexta e contando com apoio maciço da torcida, Goffin deu um susto em seus compatriotas nos dois primeiro sets da partida. O 16º tenista do mundo abusou dos erros, em saques e jogadas de fundo de quadra, e favoreceu o bom rendimento de Kyle Edmund, que, com seus 20 anos, jogava sem pressão, apesar de estrear na Davis logo em uma final.

E o jovem britânico não desperdiçou suas oportunidades. Faturou duas quebras de saque no set inicial e surpreendeu a própria equipe britânica. No segundo, ao contrário do que esperava a torcida, Edmund cresceu ainda mais na partida, diante das oscilações de Goffin. Obteve outras três quebras e não teve seu saque ameaçado. Fechou a segunda parcial em apenas 27 minutos.

Foi somente no terceiro set que Goffin "acordou" para o jogo. Ele se impôs no saque do rival no terceiro game e abriu 2/1, encaminhando a vitória no equilibrado set. Na parcial seguinte, Kyle já dava sinais de cansaço. Goffin enfrentava menor resistência e o empate parecia questão de tempo. O belga venceu o quarto set com três quebras e sem ter o serviço ameaçado.

Antes de começar a quinta parcial, a torcida já vibrava com a possibilidade de virada de Goffin. Do outro lado, o jovem britânico demonstrava abatimento físico e mental. Goffin, então, aproveitou o momento favorável e aplicou um "pneu" na pouco experiente Edmund, que praticamente não ofereceu resistência nos games finais. Foi a primeira vez que o belga conseguiu virar um jogo na carreira após perder os dois primeiros sets.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisCopa DavisBélgicaGrã-Bretanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.