Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Guga admite que não voltou ao melhor nível

Pela primeira vez, depois de ter sido eliminado na estréia do Masters Series de Cincinnati, Gustavo Kuerten admitiu que desde a cirurgia, em fevereiro do ano passado, jamais conseguiu jogar no mesmo nível de antes. "Com certeza não fosse a lesão, eu poderia estar comemorando até hoje grandes temporadas", disse o tenista brasileiro. "Tenho de me colocar em boas condições e voltar a jogar em bom nível novamente. Mas estas coisas acontecem e nem sempre a gente pode mudar. É assim que as coisas andam."Consciente de sua atual situação, Guga espera por melhores dias na disputa do quarto e último Grand Slam do ano, a partir do dia 25, em Nova York, embora admita que sua temporada tem sido ruim. "Não ganhei tantos jogos como gostaria. Mas estou me sentindo bem melhor este ano do que em 2002. Minha saúde está ótima e isso é muito importante. Por isso acredito que para o US Open possa mudar esta situação."E sem procurar muitas justificativas, Guga elogiou seu adversário da estréia em Cincinnati, o argentino Mariano Zabaleta, pelos 6 a 0 que tomou no segundo set. "Não tinha nada o que fazer. Ele jogou de maneira incrível e não me deu qualquer chance, depois de ter vencido o primeiro set."Como não fez muitas partidas nesta temporada norte-americana de quadras rápidas - foi às quartas-de-final em Los Angeles e perdeu nas primeiras rodadas de Montreal e Cincinnati -, Guga poderá até mesmo surpreender nos próximos dias com a notícia de que pode disputar o Torneio de Long Island, realizado a poucos quilômetros do US Open e que seria uma boa preparação para o brasileiro entrar no último Grand Slam do ano.

Agencia Estado,

13 de agosto de 2003 | 19h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.