Guga chega e diz que saldo foi bom

Depois de dois meses fora do Brasil, Gustavo Kuerten desembarcou neste sábado pela manhã em Cumbica. Bem humorado e sem fugir do assédio, Guga chegou contente e satisfeito com seus bons resultados neste tempo em que jogou na Europa e América do Norte, chegando a conclusão de que termina a viagem com um bom saldo, apesar da inesperada derrota para Yevgeny Kafelnikov, nas quartas-de-final do US Open. "Não tenho do que reclamar", disse o tenista número 1 do mundo. "Acho que acumulei muitas vitórias, joguei bem como nunca neste período e mantive o meu nível por um bom período." Nestes dois meses de viagens da Europa e América do Norte, Guga disputou seis torneios. Ganhou dois títulos (no ATP Tour de Stuttgart e no Masters Series de Cincinatti), chegou a final do ATP Tour de Indianápolis, além de ter chegado às quartas-de-final do US Open, repetindo sua campanha de 1999. "Acabei ficando um pouco cansado, depois de tantos torneios", concluiu Guga. "Mas acredito que jamais joguei bem por tanto tempo." Boa viagem - Guga viajou de volta ao Brasil com a família, a mãe, dona Alice, e seu irmão Rafael. Esteve bastante tranqüilo. Posou para fotos deu muitos autógrafos e até mesmo o comandante do avião anunciou com orgulho a presença de Gustavo Kuerten a bordo. Curiosamente, na sua chegada a São Paulo, Guga até demorou um pouco para ser reconhecido. Ficou bastante tempo em um canto do saguão de desembarque, com muitos passageiros cruzando por ele, sem perceber sua presença, ou talvez até mesmo respeitando seu cansaço depois de oito horas de vôo. O próximo torneio de Guga já será a partir de terça-feira na Costa do Sauípe, no litoral da Bahia. O tenista número 1 do mundo está animado com a possibilidade de jogar em casa, ao lado da torcida e espera até mesmo ter tempo para curtir o local, como ir a praia. Mas já advertiu estar um pouco cansado e reconheceu que a data desta competição não é a ideal para jogadores do topo do ranking como ele, pois marca justamente o fim de uma temporada exigente do verão do hemisfério norte, com vários torneios em quadras rápidas. "A data deste torneio não é muito boa para tenistas que estão entre os líderes do ranking", disse Guga. "Por isso, posso estar um pouco cansado na competição e, de repente, não conseguir mostrar o meu melhor tênis. Mas acho importante participar de um evento que o Larri (Passos) e eu fizemos tanta força para trazer ao Brasil." A estréia de Guga no Sauípe ainda não está definida, podendo ser na terça, ou mesmo na quarta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.