Guga confirma favoritismo no US Open

A incrível vitória de Gustavo Kuerten sobre Max Mirnyi, num jogo memorável, reforçar o favoritismo do brasileiro no US Open de 2001 e serviu para mudar a opinião de quem ainda duvidava de sua capacidade de vencer um Grand Slam, fora das quadras de saibro de Roland Garros. Um dos mais entusiasmados novos adeptos de Guga é o ex-tenista John McEnroe e hoje comentarista da tevês norte-americana.Não cansou de elogiar o brasileiro e colocá-lo tecnicamente em condições de disputar o troféu de campeão. Um dos mais respeitados jornalistas do circuito internacional de tênis, Bud Collins - do Boston Globe - confessou-se convencido de que Kuerten pode ser o campeão, depois do que viu na partida diante de Max Mirnyi. "Esta foi uma das maiores vitórias de minha carreira", analisou Guga.Com esta definição, vinda de um tricampeão de Roland Garros e número 1 do mundo, não resta dúvidas de que o jogo diante de Mirnyi foi marcante e capaz de abrir as portas para o brasileiro chegar a disputa do título do US Open de 2001. As dificuldades no jogo também ficam claras em uma constatação: "Só depois de três horas de jogo é que consegui passar na frente do Mirnyi pela primeira vez", disse Guga. "Foi uma vitória sofrida, até econtrar a fórmula certa para vencer."A fórmula estava num alto índice técnico apresentado pelo tenista brasileiro. As estatísticas do jogo revelam dados impressionantes, como o incrível índice de aproveitamento de primeiro serviço dos dois tenistas, com 67% para o brasileiro e 68% para o bielo-russo, quando uma boa média está em torno dos 55%. Guga também sacou de forma admirável e estabeleu seu recorde de aces, com 33 saques sem devolução. A marca anterior era de 29. Nem assim, o tenista brasileiro se coloca como favorito, prefere continuar correndo por fora."Ainda não me considero o favorito para vencer este torneio, pois há outros jogadores na disputa que já tiveram a experiência de ganhar um título em Nova York", contou Guga. "É claro, porém, que esta vitória sobre o Mirnyi me dá muito mais confiança e abre as portas para chegar às finais." O próprio Max Mirnyi reconheceu, após a partida, que nada poderia fazer de melhor diante de Guga. "Ele mostrou por que é o número 1 do mundo", contou o bielo-russo."Joguei bem como nunca e ainda assim perdi." Para Guga, o jogo sequer merecia um perdedor. "Se no tênis existisse empate, este teria sido o melhor resultado", disse. ?Afinal, o Mirnyi encontrou um jeito de não me deixar jogar: não permitir que eu toque na bola, afinal, com seu saque tão poderoso perdi muitos pontos sem ver a bolinha.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.