Guga crê ter passado no grande teste

Não dá mais para duvidar da recuperação de Gustavo Kuerten. Depois de sua vitória sobre o sueco Magnus Norman, nesta quinta-feira, por 6/1, 5/7 e 6/3, em jogo válido por uma vaga nas quartas-de-final do torneio de Palma de Maiorca, o próprio Guga reconheceu: "Este foi o verdadeiro teste, num jogo muito difícil, em que senti que voltei a jogar o meu melhor tênis." Agora Guga sequer vai ter tempo para festejar esta sua volta às quadras, após ter passado pela cirurgia no quadril. Nesta sexta-feira, às 10h30 (de Brasília), enfrentará o argentino Gaston Gaudio, jogador em grande fase, número 37 do ranking mundial e que vem da conquista do título do ATP Tour de Barcelona, semana passada.Guga, porém, já se pode dar por satisfeito com tudo que conseguiu esta semana. A vitória sobre Magnus Norman foi a quarta dos últimos dias e o tricampeão de Roland Garros mostrou um tênis de alta qualidade, como mostrarm os números. O brasileiro venceu o primeiro set por 6 a 1, liderou o segundo por 4 a 0, depois 4 a 1 e esteve bem próximo de arrasar o adversário quando teve dois match points a seu favor com vantagem de 5 a 2."Acabei perdendo um pouco a concentração e cai de rendimento", contou Guga depois da partida. "Isto foi suficiente para o Norman subir de produção e levar o jogo para o terceiro set. Afinal, eu e o Norman nunca fizemos jogos fáceis e, por isso, acabei perdendo cinco games seguidos. Mas o importante é que voltei a dominar, a jogar bem e mostrar que tanto meu físico como minha cabeça já estão bem novamente." Na quadra, pelo seu desempenho em em quase 2h20 de jogo, Guga não deixou dúvidas de sua boa condição física, depois de ter sofrido a cirurgia. Não deu qualquer mostra de sentir dores. Correu bem em todas as bolas, deslizou no saibro e aplicou seus golpes com a habitual violência e plena rotação do tronco.Tudo isso, deixou o técnico Larri Passos com um largo sorriso. "O Guga foi perfeito na quadra", definiu o treinador. "Mostrou estar completamente recuperado, esteve forte no físico e mentalmente." Sem contar ainda que taticamente o tenista brasileiro sentiu-se em condições de executar todas as orientações, mostrando recursos para sair de situações difíceis, como a que encontrou no segundo set." Adversário no chão - O desafio Guga x Norman sofreu um relativo atraso em razão das chuvas em Palma de Maiorca. O tempo esfriou bastante, batendo 12 graus no fim da tarde, e a superfície da quadra esteve escorregadia. Nem assim, o tenista brasileiro mostrou-se receoso de correr nas bolas e, curiosamente, fez seu adversário correr tanto que Norman caiu por quatro vezes no chão. Na última, deixou a impressão de que iria desistir da partida.Para o jogo desta sexta-feira, válido por uma vaga nas semifinais, Guga gostaria de repetir a boa atuação mostrada na partida diante de Norman. Mas, comedido, não quer pedir muito. "Já estou recompensado nesta semana aqui em Maiorca", disse. "O jogo com Gaudio promete ser outra pedreira, mas estou supercontente e supermotivado." Guga jamais perdeu para Gaston Gaudio, nos dois jogos que fizeram.Ambos foram disputados, curiosamente, em quadras rápidas. O primeiro no Masters Series de Montreal, em 2000, com vitória de 6/1 e 6/4 e, no ano passado, na primeira rodada do Aberto da Austrália, com placar de 7/5, 6/7, 6/3 e 7/5.Além de enfrentar Gaudio pelas quartas-de-final, Guga jogará ainda as semifinais de duplas. No sábado, ao lado do mineiro André Sá vai enfrentar o austríaco Julien Knowles e o alemão Michael Kohlmann.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.