Guga defende invencibilidade no saibro

Em casa, ao lado de sua torcida, Gustavo Kuerten até gostou da idéia de fazer o jogo de abertura do confronto com a Austrália, diante de Patrick Rafter. Em boa forma, Guga está há 25 jogos sem perder uma partida em quadras de saibro. Vem de vitórias nesta superfície desde maio do ano passado, quando venceu seis partidas no Masters Series de Hamburgo, outras sete em Roland Garros, duas na Davis contra o Marrocos, cinco em Buenos Aires e mais cinco em Acapulco.Poucos jogadores na história do tênis, com exceção de especialistas como o austríaco Thomas Muster, podem ter um retrospecto tão bom no saibro. Guga sabe disso e chega para esta partida com Rafter muito confiante em outro bom resultado.O jogo reúne dois estilos bem diferentes. O brasileiro tem um consistente estilo de fundo de quadra, enquanto Rafter abusa da força de seu saque, a incrível habilidade dos voleios e uma invejável velocidade. Por isso, o australiano tem um retrospecto favorável diante de Guga com três vitórias em cinco jogos, mas nenhuma delas no saibro.Experiente, com dois títulos de Grand Slam, o bicampeonato do US Open, Rafter se coloca numa posição bem parecida com a do brasileiro, pois também acredita que uma vitória neste primeiro jogo abriria amplas condições para seu país garantir vaga nas semifinais. "O Guga e eu estamos no mesmo barco", afirmou o australiano. "Mas já estou acostumado a este tipo de partida e minha experiência será importante para conseguir o primeiro ponto do confronto."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.