Guga diz que já acreditava na vitória

A cada game da vitória sobre Patrick Rafter, Gustavo Kuerten estava melhor em seu jogo. Sentia que, depois de um começo estranho e difícil, já podia dominar o adversário, colocar seus golpes do jeito que mais gosta e garantir o primeiro ponto para o Brasil, como tanto queria. Por isso, Guga confessou-se aliviado com a desistência do australiano no início do quarto set, mas carregava a certeza de que poderia sair da quadra com a vitória. "Estava me sentindo cada vez mais à vontade na quadra", contou Guga."Acho que o Rafter tinha chegado a seu máximo, alcançado o limite numa quadra de saibro, enquanto eu estava começando a ter maior sintonia com a torcida e perto do meu melhor ritmo de jogo." Satisfeito com sua vitória, especialmente pelo fato de há dias estar falando que o primeiro ponto poderia ser decisivo, Guga confessou que a reação no terceiro set, quando estava em desvantagem de 5 a 2, foi muito importante para definir o resultado."Naquele momento do jogo ganhei ânimo e confiança", avisou Guga."Além disso, ganhei um tiebreaker e há muito tempo não vencia um desempate."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.