Guga diz ter assimilado a derrota

Nem a derrota na terceira rodada do Masters Series de Miami, nem a coroa de número 1 do mundo perdida mais uma vez para o russo Marat Safin, deixaram o tenista Gustavo Kuerten aborrecido e de cara feia como em outras inesperadas eliminações de torneios. Guga, depois do jogo diante do sueco Thomas Johansson assimilou bem o golpe e até fez ironias."Da próxima vez que enfrentar o Johansson vou entrar na quadra com um escudo para me defender de seus saques a mais de 200 km/h", disse Guga."Fiquei super chateado e triste logo após a derrota, mas passado alguns momentos, sei que isso é uma coisa normal e não posso me abater." O fim de seu reinado como número 1 do mundo, após 13 semanas na liderança, também não incomodou tanto a Guga como se esperava. "Este ano vai ser sempre assim, brigando torneio a torneio com o Safin, ora um na liderança, ora outro." Guga ganhou a posição de número 1 pela primeira vez, no fim do ano passado, após o Masters Cup de Lisboa, perdeu a posição no Aberto da Austrália, recuperou com a boa campanha no ATP Tour de Buenos Aires e agora cede o trono em Miami.Nesta terça-feira, Guga já deverá estar viajando de volta a Florianópolis e na sexta-feira irá reunir-se com a equipe brasileira da Copa Davis, ao lado de Fernando Meligeni, Jaime Oncins e Alexandre Simoni, além do técnico Ricardo Acioly, para os treinamentos visando o confronto das quartas-de-final diante da Austrália de 6 a 8 de abril.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.