Guga está perto do 5º título de 2001

Com uma difícil e importante vitória sobre o equatoriano Nicolas Lapentti por 2 sets a 1, parciais de 6/4, 6/7 (8/6) e 6/3, Gustavo Kuerten garantiu sua classificação para as semifinais do ATP Tour de Stuttgart e está próximo da incrível marca de alcançar o quinto título neste ano, num total de apenas dez competições disputadas. Seria um porcentual de aproveitamento de 50%, bem acima da média do difícil e concorrido circuito internacional da ATP. Amanhã (21), Guga busca uma vaga na decisão de domingo diante do checo Jiri Novak, por volta das 10 horas de Brasília. A outra semifinal terá o argentino Guillermo Cañas diante do surpreendente espanhol de 18 anos, Marc Lopez, que jamais havia disputado uma competição desta categoria e vai até as finais.Para Guga, desta vez, em Stuttgart, não foi tão fácil como nas primeiras partidas. Guga precisou de 2h16 para superar Nicolas Lapentti, enquanto não demorou mais do que 40 minutos para ganhar de Andrew Ilie na primeira rodada e 57 para eliminar o espanhol Tommy Robredo nas oitavas-de-final. E mesmo num dia difícil de jogar, com vento forte, frio e condições nada favoráveis, venceu e, por isso, estava muito contente depois da partida."Foi um jogo diferente, mas o importante é que estou nas semifinais", disse. "Estava complicado jogar e diante de um adversário como o Nico (Lapentti), os jogos são decididos em pequenos detalhes. O importante é que lutei muito e venci." Nas semifinais, Guga espera um adversário forte e que vem animado com o recente título conquistado em Gstaad, na Suíça, semana passada. Mas, como ele mesmo advertiu, nesta fase do campeonato não dá para esperar por nada fácil."Sempre é assim, quando caminho para as finais, meu jogo costuma render cada vez mais e acho que me transformo num jogador perigoso", contou. "Este jogo contra o Lapentti foi importante até para esquentar um pouco mais na competição, pois nunca se sabe como posso acordar para as semifinais. Assim, mesmo que não esteja num dia perfeito, acho que posso lutar pela vitória, como aconteceu com o Lapentti." Superar seu amigo e companheiro de circuito, Nicolas Lapentti, foi para Guga uma espécie de vitória mental, com muita concentração para lutar pelos pontos e não se deixar levar por outros fatores. No tiebreaker do segundo set, por exemplo, poderia ter liquidado o jogo, mas acabou sendo prejudicado por um engano do fiscal de linha. O ponto voltou a ser jogador, mas não foi o suficiente, pois o brasileiro poderia ter chegado antes ao match point e talvez nem necessitasse de um terceiro set para garantir vaga nas semifinais.O certo é que agora, Guga sente-se ainda mais motivado para disputar o título em Stuttgart. "Espero crescer nesta reta final", disse. "Tenho de acreditar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.