Helvio Romero/AE
Helvio Romero/AE

Guga exalta trajetória de Maria Esther Bueno: 'Nossa rainha das quadras'

Tricampeão de Roland Garros, brasileiro elogia 'Bailarina' e demonstra gratidão à maior tenista da história do País

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

09 Junho 2018 | 10h18

Tricampeão de Roland Garros e também ex-número 1 do mundo, Gustavo Kuerten lamentou a morte de Maria Esther Bueno. A ex-tenista, considerada uma das maiores atletas da história do Brasil, faleceu na noite desta sexta-feira, em São Paulo, após uma luta contra o câncer.

+ Wimbledon lamenta morte de Maria Esther Bueno

"Maria Esther Bueno, nossa rainha das quadras. Gratidão, respeito e orgulho eterno a maior estrela do tênis brasileiro!!!", escreveu Guga nas redes sociais, abaixo de duas fotos da campeã de 19 títulos de Grand Slam jogando em Wimbledon. Foi na grama de Londres que ela obteve suas maiores conquistas: três títulos em simples (1959, 1960 e 1964) e quatro em duplas (1958, 1960, 1963 e 1965).

Para Guga, maior atleta do tênis masculino do País, o legado de Maria Esther continuará inspirando novos tenistas. "Continuará sempre nos iluminando com suas conquistas inesquecíveis e seu espírito corajoso e inspirador. Descanse em paz e com todo nosso carinho", declarou o catarinense.

Os dois ex-atletas, ambos importantes na divulgação da modalidade no Brasil, costumavam se encontrar em torneios no País e também no exterior. O último encontro deles aconteceu no Rio Open, em fevereiro. O torneio masculino, de nível ATP 500, já homenageou os dois ex-tenistas.

Num raro momento dentro de quadra, Maria Esther e Guga chegaram a bater bola em 2012, durante a série de exibições liderada por Roger Federer em São Paulo. O suíço também teve a oportunidade de jogar com a brasileira na quadra montada no Ginásio do Ibirapuera. Na época, o encontro do trio marcou a reunião de 27 títulos de Grand Slam - Federer conquistaria outros mais tarde.

"Ele é meio fraquinho, mas estava bom. Tenho que arranjar um parceiro melhor", brincou Maria Esther, na época. "Jogar com o Federer, uma pessoa incrível, e o Guga é para entrar para a história", exaltou a brasileira, diante dos parceiros.

 

 

Mais conteúdo sobre:
tênis Maria Esther Bueno

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.