Guga exibe conquista em Sacre Couer

Tricampeão de Roland Garros, Gustavo Kuerten escolheu um dos lugares mais turísticos e fascinantes de Paris para exibir o troféu dos Mosqueteiros: a basílica de Sacre Couer, onde no ponto mais alto da sua escadaria pode se ter a Cidade Luz a seus pés. Curiosamente, religião, boêmia e vida artística misturam-se em Montmatre. Bem atrás da igreja fica uma vila de pintores, local em que Picasso freqüentou.Nem mesmo Guga tocou neste assunto, cantado em voz alta pelos diversos guias turísticos que andam pela basílica e pela vila dos pintores. Entre cafés e restaurantes, pintores em busca da fama e da sobrevivência desenham rostos dos visitantes no cenário parisiense, tudo por alguns trocados. "Não poderia ter um lugar melhor para celebrar esta conquista", lembrou Guga, que disse ter ido muitas vezes já a Sacre Couer."Minha mãe sempre faz questão de visitar esta igreja." Com o troféu dos mosqueteiros nas mãos, Guga posou para fotos e fotos. Ora sozinho, ora com a família, com a raquete na mão e até mesmo como um pintor caracterizado, lembrando os tempos de Picasso. O tenista brasileiro estava simpático, como um ídolo deve ser, sorrridente e não se importou em dar autógrafos e abraçar os fãs. Estava feliz da vida com a façanha em Paris."Acho muito legal ver meu nome sendo colocado no mesmo nível de outros jogadores como Borg, Lendl e Wilander, outros tricampeões de Roland Garros", afirmou Guga. Agora, o tenista quer esquecer os compromissos. Por os pés para cima e descansar por uns 15 dias. Só depois reinicia os treinamentos e espera chegar ao segundo semestre em condições de voltar a lutar por outros títulos importantes. Quem sabe não colocou na cabeça o trofeu do US Open, pois o de Wimbledon, já desistiu de disputar, pelo menos por este ano.

Agencia Estado,

11 de junho de 2001 | 12h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.