ITHF
ITHF

Guga fecha ciclo de homenagens em Paris com anel do Hall da Fama

Ex-tenista comemora os vinte anos do primeiro troféu no saibro de Paris

Felipe Rosa Mendes, Estadao Conteudo

11 de junho de 2017 | 06h54

Como aconteceu na conquista dos seus três títulos em Roland Garros, Guga será celebrado na quadra Philippe Chatrier neste domingo, minutos antes da final masculina. O ex-tenista catarinense vai receber o anel do Hall da Fama do Tênis na comemoração dos vinte anos do primeiro troféu no saibro de Paris.

Ao receber uma das principais honrarias do Hall, Guga vai entrar para um seleto grupo de ex-tenistas, que inclui lendas como John McEnroe, Bjorn Borg e Martina Navratilova. Antes do tricampeão, somente um tenista nacional ganhou o anel: Maria Esther Bueno, em 2011.

A entrega do objeto, que já tem as inscrições de Guga, será realizada por volta das 9h30 e contará com os principais dirigentes do Hall da Fama, como Stan Smith e Todd Martin, outros ex-tenistas - a final masculina, entre Stan Wawrinka e Rafael Nadal, está marcada para as 10 horas. "O Hall da Fama é uma excelente plataforma para motivar e unir as pessoas pelo esporte", diz o brasileiro ex-número 1 do mundo.

O anel encerra uma série de homenagens que vêm celebrando os 20 anos do título de 1997. As festividades tiveram início com o lançamento de um documentário sobre a trajetória surpreendente do catarinense naquele ano, quando era apenas o 66º do ranking. O curta foi produzido pela Federação Francesa de Tênis (FFT).

Depois, Guga foi recebido com festa da organização de Roland Garros e de um patrocinador no dia 28, em breve visita ao torneio. "Eu ainda consigo saborear, relembrar os momentos inesquecíveis que vivi aqui", afirma o ex-atleta.

Na quinta passada, data exata do aniversário dos 20 anos, a FFT homenageou o brasileiro em seu próprio país. Em parceria com a Arquidiocese do Rio de Janeiro, iluminou o Cristo Redentor de azul e amarelo, cores do famoso e marcante uniforme do campeão em 1997.

Presidente da FFT, Bernard Giudicelli, resumiu as festividades em declaração ao Estado: "Esta é a mágica de Roland Garros: aqui você não precisa ser francês para se tornar um herói".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.