"Guga foi o melhor", reconhece Federer

Número 1 do mundo e grande favorito ao título de Roland Garros deste ano, o suíço Roger Federer não procurou desculpas, ou justificativas, para a sua derrota diante de Gustavo Kuerten. Admitiu ter jogado o seu melhor, mas nem assim conseguiu avançar para a segunda semana do torneio."O Guga foi melhor", admitiu Federer. "Fiz o que pude em quadra, mas não foi o suficiente para superá-lo".Surpreso com a tática de Guga, Federer disse que não conseguiu jogar como gostaria. Ou seja, bater a bola na altura da cintura, dominar os pontos e fazer o adversário correr de um lado para o outro. "Não estava feliz com meu jogo, a minha bola voou muito, errei em alguns momentos e nem mesmo meu voleio funcionou".Federer confessou que houve um motivo para não encontrar um jeito de impor seu estilo. "O Guga não me deu muitas chances", admitiu. "Ele teve um bom desempenho, eu tentei de tudo, mas não deu. O Guga me manteve longe da rede e fiquei sem alternativas do fundo de quadra." Apesar de ser um dos favoritos ao título Federer não contou com o apoio da torcida, que preferiu gritar pelo nome de Guga. O fato, porém, não incomodou o número 1 do mundo. "É um tenista que já ganhou por três vezes em Paris. É um cara bem divertido, simpático, e os torcedores gostam dele. Uma grande pessoa e que merece esta torcida toda."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.