Guga ironiza adversários australianos

Com seu jeito descontraído, meio irônico e divertido, o tenista Gustavo Kuerten quebrou o gelo e afastou a possibilidade de os tenistas australianos sofrerem qualquer tipo de hostilidade nos jogos da Copa Davis, de 6 a 8 de abril em Florianópolis. Em Indian Wells, Guga vem sendo assediado com repetidas questões sobre a torcida brasileira e, em certo momento, transformou-se numa espécie de embaixador de sua cidade."O lugar é bonito, uma ilha agradável, com pessoas amigáveis", disse. "Acho que os australianos irão se sentir tão bem, que vão querer morar lá para sempre e serão bem-vindos." Há um bom tempo, os australianos vêm fazendo uma "guerra fria" para não se sentirem pressionados em Florianópolis, nos jogos das quartas-de-final da Davis.Conseguiram que a Federação Internacional de Tênis (ITF) designasse um árbitro geral, como o inglês Alan Mills, que tem boa relação com os australianos e muita experiência em disputas internacionais. Além disso, os australianos argumentam que em Barcelona, na decisão do título do ano passado, sofreram muito com o comportamento da torcida espanhola, que gritava durante os pontos e nos intervaldos entre o primeiro e segundo serviço. A Espanha ganhou o título, mas os australianos não engoliram ainda esta derrota. Temem que, novamente, possam ser eliminados.Guga desenhou um outro cenário em Florianópolis, bem diferente do visto em Barcelona pelos australianos. Disse que "todos viiverão bons momentos", e é lógico fez uma advertência: "Ninguém deve provocar a torcida para não virar uma confusão", disse. "O Hrbaty (Dominik - jogador da equipe da República Eslovaca que jogou Davis no Brasil) gostou de provocar o público, sentiu-se bem jogando assim." Número 1 do mundo e tenista que se superar em jogos da Davis, Guga confessou que também gosta do clima da competição. Sabe usar a torcida com eficiência e consegue assim superar situações bem difíceis."Eu curto muito o clima da Davis", afirmou. "Tiro energia do público para o meu jogo." Outra preocupação dos australianos era quanto a quadra, de saibro, e que estaria muito lenta. Guga tranqüilizou: "É lógico que vai estar lenta, muito lenta, mas com jogadores de um nível técnico tão alto, como os australianos, de golpes muito fortes e bons saques, nada deixará de fazer a bolinha andar muito rápida." Guga confessou para os australianos ainda que espera jogos bem equilibrados e que haverá uma boa estrutura para os jogadores visitantes, com muitas quadras para treinamentos e boas instalações na avenida Beira Mar Norte, local dos jogos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.