Guga já está nos EUA para cirurgia

Gustavo Kuerten não quer mais perder tempo e como ainda sonha com a possibilidade de voltar às quadras a tempo de jogar em Roland Garros - na última semana de maio - o tenista já está nos Estados Unidos e nesta segunda-feira consultou-se com médicos indicados pela Associação dos Tenistas Profissionais (ATP). Se tudo der certo, gostar do centro clínico e convencer-se que é o melhor lugar, poderá passar pela cirurgia já nos próximos dias. Guga viajou acompanhado do técnico Larri Passos e de seu irmão Rafael Kuerten. A partir de agora, Guga inicia uma corrida contra o tempo. A idéia é realizar uma artroscopia que, segundo especialistas, poderia colocar o tenista de volta às quadras bem antes do esperado. Com isso, teria dois meses de recuperação e mais 30 dias de treinamentos até sua possível estréia em Roland Garros de 2002. A ATP iria promover o encontro do tenista brasileiro com o médico que operou o sueco Magnus Norman e possivelmente este seria o cirurgião responsável por Guga. Com esperanças de voltar em três meses ao circuito, Guga não irá usar do recurso de proteger o seu ranking, como chegou a estudar a possibilidade na semana passada, em Buenos Aires. Para isso, precisaria ficar fora das quadras por um mínimo de seis meses. No caso de Guga voltar ao circuito ainda antes de Roland Garros iria manter-se entre os dez primeiros, muito provavelmente ocupando a oitava posição do ranking mundial, ou de entradas. Se deixar para depois do Aberto da França, ainda assim ficaria entre os 20 primeiros da classificação. Na lista divulgada nesta segunda-feira, Guga manteve a vice-liderança e o Brasil conta agora com quatro jogadores entre os cem primeiros. Fernando Meligeni é o 72.º colocado, André Sá subiu sete posições e está em 91.º e Flávio Saretta ocupa o 99.º lugar. No feminino, como já era de se esperar, a norte-americana Venus Williams transformou-se na primeira negra a ocupar a liderança do ranking da WTA. Esta classificação, criada em 1975, não registra a posição de outra negra, Althea Gibson, que dominou o tênis feminino na década de 50.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.