Guga já está pensando em 2003

Gustavo Kuerten tentou dissimular depois de ser eliminado na estréia, nesta terça-feira, em Cincinnati. Disse que terminou a partida contra Tim Henman, quarto do ranking mundial, jogando bem. Mas o resultado ? 6/3 e 6/4 ? do inglês vai colocar o brasileiro em situação difícil no ranking mundial. Guga defendia 500 pontos referentes ao título do ano passado. Ele tem 1.425 pontos atualmente. Com o desconto, o tenista de 25 anos deve ficar próximo do 40º lugar no ranking ? o pior desde 1997, quando conquistou o primeiro dos três títulos em Roland Garros. Guga deu a atender que esta temporada praticamente acabou para ele. ?A única certeza é que me sinto muito melhor hoje do que quando Roland Garros (de 2002) terminou e só se passaram dois meses desde então. Daqui a uns cinco meses, quando a outra temporada começar, acredito que possa estar realmente pronto. Vou continuar tentando e sei que alguma hora vou voltar a vencer. Não é uma situação fácil, os meus golpes estão como antes, mas em relação ao físico tenho de ter muita paciência.? O jogador, segundo sua assessoria, voltará ao Brasil para treinar, antes de jogar o Aberto dos Estados Unidos, que começa dia 26. Se mantiver essa programação, deixará de defender mais 175 pontos conquistados na final de Indianápolis em 2001. No Aberto dos Estados Unidos há outros 250 para serem defendidos pelo brasileiro. Guga começou a partida contra Henman com uma oportunidade de quebra de saque logo no primeiro game, mas não conseguiu converter. E teve o seu serviço quebrado no sexto game, o que deixou Henman com vantagem para fechar em 6/3. No segundo set, Guga perdeu o saque no primeiro e no sétimo games e até tentou uma recuperação na partida, quebrando o serviço de Henman no oitavo game. Mas não deu tempo de ?voltar? ao jogo. Henman fez 6/4 dois games depois. Guga agora tem três derrotas em cinco confrontos contra o inglês. ?Sabia que era uma primeira rodada dura e que o Henman vinha jogando bem. Ainda não estou no meu melhor e nas horas importantes acabei falhando. Mas fiz algumas boas jogadas e apesar de ter perdido terminei a partida jogando bem. O Henman, por outro lado, jogou sempre na frente e quando precisou jogou melhor ainda?, disse Guga. O brasileiro acredita que está com 70% do seu potencial. E manteve o discurso de que a sua principal preocupação no momento é estar se sentindo bem na quadra. ?Ainda tenho alguns buracos para preencher e chegar ao meu melhor. É difícil render bem o tempo todo, estou passando por uma fase delicada e tenho de ter muita tranqüilidade e fazer as coisas sem pressa. A minha principal preocupação é que eu me sinta bem em quadra e sei que estou progredindo.? Guga fez uma artroscopia no quadril dia 26 de fevereiro e voltou dois meses depois, dia 29 de abril, em Mallorca, jogando no saibro, quando chegou às quartas-de-final: perdeu do argentino Gaston Gaudio, mas o reinício parecia promissor. Depois disso ele foi à segunda rodada em Roma, chegou às quartas-de-final em Hamburgo, às oitavas em Roland Garros, à segunda rodada em Stuttgart, tudo no em saibro. Em seguida chegou à quadra rápida: quartas-de-final em Los Angeles, primeira rodada em Toronto e agora novamente caiu na estréia em Cincinnati. O problema é que perdendo tantos pontos Guga terá jogos cada vez mais difíceis, contra adversários mais bem ranqueados daqui para a frente. Outros resultados em Cincinnati - Michael Chang (EUA) 6/3 e 6/2 Tommy Haas (ALE); Wayne Arthurs (AUS) 6/3 e 7/6 (7-3) Noam Okun (ISR); Lleyton Hewitt (AUS) 6/0 e 6/0 Robby Ginepri (EUA); Dominik Hrbaty (ESL) 6/3, 3/6 e 6/4 Sebastien Grosjean (FRA); Andy Roddick (EUA) 6/3 e 6/3 Michel Kratochvil (SUI); Jarkko Nieminen (FIN) 6/3, 3/6 e 6/4 David Nalbandián (ARG); Marcelo Ríos (CHI) 6/3 e 6/3 Gastón Gaudio (ARG); Fernando Vicente (ESP) 6/1 e 6/4 Jeff Morrison (EUA).

Agencia Estado,

06 Agosto 2002 | 18h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.