Guga joga por volta das 16h

Depois da milagrosa vitória sobre o bielo-russo Max Mirnyi, por 3 sets a 2, parciais de 6/7 (7/5), 5/7, 7/6 (7/4), 7/6 (7/3) e 6/2, em 3h31 de muito sofrimento, Gustavo Kuerten espera agora por uma campanha inédita no US Open. Seu melhor resultado até hoje em Nova York foi chegar às quartas-de-final em 1999 (perdeu para o francês Cedric Pioline) e na próxima rodada vai enfrentar um conhecido freguês, o espanhol Albert Costa, para colocar-se entre os oito melhores do torneio de 2001. O jogo será nesta terça-feira à tarde, por volta das 16h, de Brasília, na quadra Louis Amstrong.Guga tem um retrospecto invejável diante do tenista espanhol Albert Costa. Em seis jogos perdeu apenas 1 e ainda assim foi o primeiro deles, em 1996, quando o brasileiro ainda não tinha sequer conquistado seu primeiro título de Roland Garros. Depois não deu mais chances para este jogador, que ocupa atualmente a posição de número 40 no ranking mundial e chega às oitavas-de-final em Flushing Meadows entusiasmado pela vitória sobre o campeão de Wimbledon, o croata Goran Ivanisevic. "Se eu pudesse escolher o adversário preferiria enfrentar o Mirnyi", contou o acuado Costa, em sua entrevista coletiva."Também seria um jogo perigoso, mas o Kuerten é muito mais consistente e vem jogando bem nestas quadras rápidas e em Cincinnati mostrou que não é apenas o número 1 do saibro." De encontro ao favoritismo de Guga nesta partida, está o enorme desgaste físico provocado por um jogo com pouco mais de 3h30 de duração, disputado num intenso clima emocional e que acabou só no início da madrugada. Com isso, o tenista não conseguiu dormir antes das 3 horas da manhã. Para compensar acordou mais tarde e só chegou a Flushing Meadows para treinar com o técnico Larri Passos às 4 horas da tarde."Já estou acostumado a lidar com esta situação", afirmou Guga. "Não vou dizer que não esteja cansado, mas já entrei em vários jogos nesta condição e consegui me sair bem. Esta não foi a primeira vez que fiz uma partida em cinco sets e, certamente, não será a última também". Para a partida desta terça-feira, Guga terá tempo para recuperar-se.O ideal seria voltar a jogar à noite, mas a organização preferiu reservar a sessão noturna para a atual sensação norte-americana, o jovem Andy Roddick que desafirá o surpreendente espanhol Tommy Robredo por uma vaga nas quartas-de-final. Guga não se importou em ter de jogar à tarde. Como já disse, só não gosta de fazer o primeiro jogo, por volta das 11 horas. "Eu prefiro mesmo jogar no meio da tarde", contou Guga, que espera uma partida de muitas trocas de bola diante do espanhol Albert Portas nesta terça-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.