Guga joga por volta das 18 horas

"Alguma coisa boa e estranha aconteceu esta semana em Indian Wells". Assim o técnico Larri Passos definiu a participação de Gustavo Kuerten neste torneio do Masters Series. O próprio Guga também está impressionado com a sensação de um novo momento estar surgindo e chegou até mesmo a comparar com o que sentiu em 1997, quando ganhou Roland Garros pela primeira vez. "Estou sentindo uma tremenda vibração. Uma felicidade muito grande, um entusiasmo total. Depois de batalhar um ano inteiro para chegar no nível em que estava jogando fico até arrepiado, numa hora tão importante como esta", contou Guga. "Agora voltei a só ver coisas boas pela frente, uma energia positiva muito grande".A mudança também está pelo ar. O técnico Larri Passos disse que alguma coisa o fez assistir jogos de tenistas como James Blake, que Guga jamais tinha enfrentado e acabou vencendo nas quartas-de-final. "Nem sequer tinha olhado a chave e não sabia que o Blake poderia ser adversário do Guga", confessou Passos. "Estou sentindo o Guga novamente muito perto, vibrando e buscando o melhor, como em 97." Os treinos em Indian Wells esta semana mostraram esta sintonia.Curiosamente Guga só bateu bola com o treinador. Não procurou outros tenistas e ambos se mantiveram concentrados na competição. "Fiz ele (Guga) treinar tudo o que precisava e se mostrou muito interessado, ouvindo bastante e tentando coisas novas", disse Passos. "Esta semana, usou todos os aspectos, os ingredientes para jogar bem, como tática, energia e muita vibração."E como num toque de mágica, tudo parece ter andado mais fácil esta semana. Até mesmo a cabeça do tenista está tranqüila, como demonstrou quando afirmou "se perder não tem problema, não vou reclamar, pois sei que tem outra semana pela frente." Na quadra, o novo momento ficou evidente. "Estou fazendo as coisas parecerem mais fáceis novamente, meus golpes estão saindo bem e espero que continue assim."Guga também compara a atual situação com a época em que buscava posições no ranking e começou a encontrar o seu melhor tênis. "É a primeira vez esta semana que tenho a sensação de que tudo está funcionando muito mais fácil. Senti o meu jogo fluindo de uma maneira diferente, as bolas entrando sem muito esforço. Estou naquela ansiedade de antes. É como se estivesse tudo acontecendo de novo. Comparando aqueles momentos em que estava chegando, ficando perto dos melhores do mundo e com a vontade igual de quando buscava uma posição entre os dez." É com este novo espírito e motivação para treinar e jogar, que Guga já vai para Miami com um respeito e como um dos favoritos no próximo Masters Series, em Key Biscayne.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.