Guga marca o retorno para 4 de abril

Gustavo Kuerten vai marcar sua volta ao circuito profissional no saibro de Valência, torneio da série ATP Tour que começa no dia 4 de abril. Seu caminho, na busca por um lugar entre os líderes do ranking, seguirá na mesma superfície no Masters Series de Montecarlo, a partir do dia 11. Depois, ainda joga em Roma e Hamburgo antes de seu grande sonho: pisar novamente nas quadras de Roland Garros. Na Costa do Sauípe, para atender a compromissos com o seu principal patrocinador, o Banco do Brasil, além de dar uma espiada no Brasil Open, Guga falou muito de seu futuro próximo e, numa entrevista coletiva, revelou seu objetivo de voltar ao grupo dos melhores tenistas do ranking mundial."Se quisesse ficar apenas entre os 20 primeiros do ranking não precisaria fazer outra cirurgia", confessou Guga. "Era só escolher bem os torneios, jogar os que teria mais chances e pronto. Mas sou muito competitivo e não me contento com isso. Quero ir mais longe." Apesar da perspectiva arrojada, Guga não quer alimentar muitas esperanças na torcida, especialmente nos primeiros torneios que disputará. Em fase final de recuperação, da cirurgia no quadril realizada em 21 de setembro, ele sabe que as duas primeiras competições, em Valência e Montecarlo, servirão para sua readaptação ao circuito. Com as mãos limpas, quase sem calos, denunciando os quase seis meses longe das raquetes, Guga contou que iniciou agora a fase mais "prazerosa" de sua recuperação. Vai intensificar a parte técnica, com treinos diários ao lado do técnico Larri Passos."Passei por períodos difíceis. Esta segunda cirurgia foi bem mais longa e complicada. Fiquei seis horas com anestesia, enquanto na primeira em pouco mais de uma hora já estava andando. Tive ainda de usar muletas e não colocar o pé direito no chão por um mês. Agora, já posso fazer tudo que preciso e gosto", revelou Guga, que aproveitou bem suas ?férias? em Florianópolis - "a primeira em 15 anos", lembrou - para surfar, revelando estar com as pernas fortes.Fim da confusão - Alegre e aparentemente muito contente por estar na Costa do Sauípe, matando a saudade dos grandes torneios, Guga enfatizou seu desejo de ver a paz reinar no tênis brasileiro, depois de um período tão difícil, com o boicote dos principais jogadores na Copa Davis. "Acho que as pessoas envolvidas no tênis devem se unir e não bater de frente", defendeu o tenista.Guga também disse estar bastante satisfeito com a indicação de Fernando Meligeni para o cargo de capitão da Copa Davis. "Ele (Meligeni) tem a cara a Davis. Com exceção das semifinais de Roland Garros, foi na Davis que conseguiu ter alguns de seus melhores momentos no tênis e sabe o que fazer para tirar o melhor de cada jogador do time. Tem todo meu apoio", avisou o tricampeão de Roland Garros.

Agencia Estado,

18 de fevereiro de 2005 | 18h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.