Guga não esperava chegar à final

Em busca de seu segundo título consecutivo, Gustavo Kuerten mostrou-se surpreso com a boa campanha em Lyon. Sincero, ele admitiu até que não esperava estar na final já no seu primeiro torneio em quadra de carpete da temporada, depois de ter jogado em quadras rápidas abertas, na Costa do Sauípe, e no saibro da Copa Davis, no Rio. Neste domingo, às 10 horas, Guga enfrenta o francês Paul-Henri Mathieu, com transmissão ao vivo da ESPN Brasil."Eu mesmo estou surpreso com esta campanha. Não é nada fácil sair lá do saibrão e alcançar uma final no carpete coberto", disse Guga. "Acho que fui melhorando jogo a jogo e agora para uma final é 50% para cada lado, pois tanto eu como Paul-Henri Mathieu estamos com confiança e qualquer resultado é esperado."Guga também admitiu que poderia ter vencido em dois sets o jogo diante do francês Arnaud Clement, neste sábado, mas acha que falhou um pouco no seu saque em alguns momentos. "Além disso, o Clement não dá nada de graça, mas o importante é que venci e agora estou na minha primeira final em carpete". Guga já esteve numa decisão de um torneio com características parecidas, no Master Cup de Lisboa, mas a superfície não era exatamente de carpete, mas sim um piso sintético.O técnico Larri Passos elogiou a recuperação de Guga, que teve de voltar a jogar com apenas 14 horas de uma partida para outra. Disse ser um sonho ver seu pupilo numa final de carpete. "É o resultado de muito trabalho, desde a cirurgia", disse o treinador, lembrando da operação no quadril do tenista, realizada em fevereiro.Para a partida deste domingo contra Paul-Henri Mathieu, que ganhou o título do Kremlin Cup, em Moscou, depois de ter saído do qualifying, Larri Passos espera um jogo um pouco diferente do que foi com Clement. "O Mathieu é um jogador que vai atacar muito o segundo serviço de Guga e, por outro lado, vou pedir para o Guga atacar a sua direita."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.