Guga negocia contrato com Olympikus

Nem a italiana Diadora nem a norte-americana Nike: Gustavo Kuerten poderá usar Olympikus, uma marca bem brasileira, na temporada de 2002. A fabricante de roupas esportivas pertence a um poderoso grupo, com sede no Rio Grande do Sul. As negociações estão adiantadas e já há quem diga que está tudo acertado, com um contrato em torno de R$ 6 milhões com validade de dois anos. Na verdade, falta definir detalhes importantes. Por isso, Guga poderia até aparecer com um uniforme todo branco no desafio Brasil x Argentina, entre os dias 3 e 5, no Rio. A possibilidade dele usar uma roupa sem marcas, deixa claro que seu contrato com a Diadora não prosseguirá em 2002.A negociação com a Nike emperrou por problemas já conhecidos: a empresa não divide espaço com outros patrocinadores. É assim com Pete Sampras, Andre Agassi e Lleyton Hewitt. No caso de Guga, teria de aceitar o logotipo do Banco do Brasil na manga da camisa do tenista brasileiro. Sem conseguir encontrar solução para o impasse, o empresário internacional de Gustavo Kuerten, Jorge Salked, da Octagon, reuniu-se com os patrocinadores do tenista para acertar a nova marca para 2002.Trabalho duro - Concentrado na sua preparação para a temporada, Guga treina forte com o técnico Larri Passos. Surpreendeu o treinador pela rapidez com que readquiriu o controle dos golpes, pois só começou a treinar com raquete na última segunda-feira.Larri forçou bastante os golpes de direita, exigindo um acentuado giro de tronco de Guga, justamente para testar a recuperação da lesão na virilha. O jogador disse que é na batida de direita que sente mais o problema. "Os primeiros dias são sempre mais difíceis, mas estou bastante motivado a aproveitar bem a fase de preparação." Guga treina ao lado de André Sá, Márcio Carlsson, Antônio Prieto, Lucas Engel, Franco Ferrero e os israelenses Naon Okum e Eyal Erlich.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.