Guga perde e é eliminado em Sydney

O bicampeonato já não é mais possível. E a posição de número 1 do mundo ficou por um fio. Só mesmo um milagre vai manter Gustavo Kuerten na liderança do ranking mundial, depois de sua segunda derrota no Masters Cup de Sydney, desta vez, para o espanhol Juan Carlos Ferrero, por 2 sets a 0, parciais de 7/6 (7/3) e 6/2. Com esse resultado, Guga perdeu a chance de brigar pelo título da competição e está fora, inclusive, das semifinais, enquanto espera por um fracasso do australiano Lleyton Hewitt para manter a liderança, ou dependendo de outros resultados poderá até mesmo cair para a terceira colocação."É claro que estou frustrado", admitiu Guga. "Mas não posso reclamar da atual temporada: ganhei seis títulos, conquistei novamente um troféu de Grand Slam, em Roland Garros, e só nestes últimos meses as coisas não andaram tão bem como gostaria." Com a desclassificação de Guga do Masters Cup - o brasileiro não tem mais nenhuma chance, depois de Goran Ivanisevic ter perdido para o russo Yevgeny Kafelnikov por 6/3 e 6/4 -, o caminho ficou aberto para os australianos fazerem uma grande festa em casa. Lleyton Hewitt já está classificado para as semifinais, embora ainda tenha um jogo do round robin diante de compatriota Patrick Rafter. Assim, se vencer sua partida no sábado - o adversário ainda não está definido -, ele vai tornar-se o mais jovem tenista a terminar uma temporada como número 1 do mundo, aos 20 anos."A luta pela posição de número 1 do mundo fugiu das minhas mãos", lamentou Guga. "Não deu para chegar ´tinindo´ neste torneio e perdi dois jogos. Acho que o Hewitt também merece ganhar a liderança do ranking, pelos bons resultados neste segundo semestre." Sem conseguir mostrar o seu verdadeiro tênis, Guga disse estar confortável com a situação e abusou da ironia para retratar seu atual estado de espírito. "Posso terminar o ano como número um, dois ou três. Acho que já é o bastante para quem era o número cinco lá de Floripa." Colocação - Sem marcar nenhum ponto até agora no Masters Cup, Guga deixou Hewitt encostar nos seus calcanhares, diminuindo uma diferença de 48 para apenas 8 pontos no ranking. Guga pode aumentar esta pequena vantagem para 28, caso vença o russo Yevgeny Kafelnikov nesta sexta-feira. Só que Hewitt tem condições de encostar novamente, se ganhar de Patrick Rafter no mesmo dia, recolocando os oito pontos.Como Guga não passa mais para as semifinais, as portas estão abertas para Hewitt. O tenista australiano somará outros 40 pontos, no caso de ganhar neste sábado de Goran Ivanisevic ou de Juan Carlos Ferrero, seus possíveis adversários na próxima fase. Assim, o australiano não precisa nem ser campeão do Masters para consagrar-se como o novo número 1 do mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.